Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

14/09/2004 09:14

Recorde: Exportações de carne bovina crescem 11,5%

Fabiana Uchinaka /ABr

As exportações brasileiras de carne bovina não industrializada e industrializada cresceram 11,5% em agosto, em relação ao total exportado em julho, e 94,79% em comparação com agosto do ano passado. Também em julho, as exportações haviam alcançado um recorde, com o crescimento de 92,97% na comparação com julho de 2003. Os embarques para o exterior subiram de 170.674 toneladas em julho para 190.403 toneladas em agosto.

As exportações das carnes não industrializadas foram as que mais cresceram no mês, com 140.143 toneladas vendidas (+120,13%) e US$ 198, 351 milhões arrecadados (+142,21%). No mesmo mês de 2003, foram exportados 63.663 toneladas, no valor de US$ 81,893 milhões. As vendas externas de carnes industrializadas também cresceram, subindo de US$ US$ 27, 763 para US$ 44, 534 milhões, um crescimento de 16.177 toneladas sobre o total de agosto.

Os principais importadores da carne bovina não industrializada brasileira são Rússia, Países Baixos, Chile e Irã. Em agosto, a Rússia comprou 30.332 toneladas de carne, 162,58% a mais que em agosto de 2003. O país que mais aumentou suas compras foi o Irã, que importou 11.115 toneladas contra 1.776 há um ano – um crescimento de 525,66%. Os dados foram divulgados hoje pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec).

A carne bovina industrializada brasileira é consumida principalmente nos Estados Unidos, no Reino Unido, nos Países Baixos e no Japão. Os americanos são os nossos maiores compradores e importaram 13.343 toneladas em agosto, 49,33% a mais que em agosto de 2003. O mercado que mais cresceu no período, porém, foi o de Cuba. No ano passado, a ilha comprou 188 toneladas de carne industrializada e agora importou 2.100 toneladas – uma variação positiva de1.020%.

De janeiro a agosto deste ano, foram exportadas cerca de 2 milhões de toneladas de carne brasileira, o equivalente a US$ 1,5 bilhão. Em relação a igual período do ano passado, o acumulado em toneladas representa um crescimento de 39,63%.

“O crescimento que esperamos nesse segmento não é de volume vendido. Queremos aumentar o valor agregado da carne brasileira e conquistar novos nichos e mercados, como a Indonésia e a Malásia. O preço da carne brasileira é muito prejudicado pelas taxações”, acredita Marcos Vinícius Pratini de Moraes, presidente da Abiec. Ele explica que a União Européia chega a taxar a carne brasileira em até 200%.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)