Cassilândia, Domingo, 19 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

09/11/2017 10:40

Rastreabilidade aumenta valor de produtos e garante qualidade, diz especialista

Agência Brasil

 

A rastreabilidade de produtos agrícolas de sua origem até a mesa do consumidor pode aumentar seu valor no mercado e garantir a qualidade ao comprador, de acordo com o representante da Associação Brasileira de Automação - GS1 Brasil, Nilson Gasconi, que participou de encontro sobre o tema promovido pelo Ministério da Agricultura, Pecuaria e Abastecimento e pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Em todo mundo, a GS1 é responsável pelo registro digital de produtores – dos pequenos aos grandes conglomerados da agroindústria – por meio de um número global de localização, ou GLN, que os identifica e dá acesso à plataforma de dados do International Trade Center (ITC), ligado à Organização das Nações Unidas (ONU). “Isso vai permitir que esse produtor seja identificado por qualquer outro produtor ou importador em qualquer pais do mundo. A plataforma do ITC tem todos os dados da propriedade, do seu sistema de produção, tipo de insumos que utiliza etc”, disse Gasconi.

Segundo ele, a medida agrega aos produtos competitividade no mercado internacional porque a identificação é padronizada, ou seja, é a mesma para todos os países. Nessa certificação, as embalagens têm um código de barras ou QR Code que permite a captação imediata das informações sobre o produto e o compartilhamento com toda a cadeia de comercialização, do campo até a prateleira do supermercado.

“Esse sistema dá visibilidade a essa cadeia, facilita o gerenciamento de riscos, o uso dos recalls sempre que necessário, além de dar eficiência logística e organização de métodos”, afirmou Gasconi.

A experiência da Colômbia

Gasconi citou a Colômbia como exemplo bem-sucedido de parceria entre governo, associações de produtores e companhias privadas para garantir a rastreabilidade. Quando o sistema começou a ser implementado no país, cerca de 30 mil fazendas foram cadastradas no GLN. Hoje, já são 107 mil.

Segundo ele, os resultados foram positivos influenciados pelas expectativas dos produtores em “ter visibilidade para o seu produto, poder acessar mercados internacionais, serem mais competitivos, tomar consciência da diversidade de produtores do país, mostrar as praticas sustentáveis aos clientes e também fortalecer o setor agrícola”.

Na avaliação de Gasconi, o exemplo da Colômbia pode ser replicado em outros países, inclusive no Brasil, onde iniciativas de certificação têm mostrado bons resultados.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 19 de Novembro de 2017
11:00
Mundo Fitness
Sábado, 18 de Novembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sexta, 17 de Novembro de 2017
19:49
Cassilândia
10:28
Cassilândia
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)