Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

28/01/2004 13:35

Ração especial permite enriquecer o leite

Agência Brasil

Um leite com mais proteína, menos gordura e com propriedades anticancerígenas. Este produto, criado por cientistas do Departamento de Zootecnia da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP e da Universidade de Cornell (Nova York), é formulado com a adição de um composto de ácidos graxos na ração dos animais leiteiros.

Além da melhor qualidade do leite, a ração especial pode aumentar a quantidade de litros produzidos pelos animais. Segundo o pesquisador Dante Pazzanese Lanna, da Esalq, um tipo de ácido linoléico presente na ração, ao ser absorvido pelo animal, inibe o processo de síntese de gordura em seu organismo - tanto no tecido adiposo, quanto na glândula mamária. Experimentos conduzidos em colaboração com a Embrapa demonstraram que, ao sintetizar menos gordura, o animal tem suas exigências dietéticas de energia reduzidas.

"Ele precisa comer menos, porque sintetiza menos gordura, ou come o mesmo e produz mais leite, que é mais diluído", declara Lanna. O pesquisador explica que o estudo começou a ser feito objetivando de entender o que regula o teor de gordura do leite. "Sabíamos que os animais naturalmente apresentam a síndrome de baixo teor de gordura do leite. Ainda em Cornell, um colega identificou que esta síndrome era causada por um composto produzido no estômago deles, que aparecia com o uso de certas rações." Ao identificar o composto (o ácido linoléico conjugado, ou CLA), a equipe descobriu como fabricá-lo em laboratório e como manipular sua produção. "O ácido está no óleo de soja, então o empregamos para o processo de desenvolvimento da ração."

Lanna informa que os estudos dos efeitos do CLA se iniciaram ainda quando estudava na Universidade de Cornell, mas foi com a equipe da Esalq que ele demonstrou o aumento no teor de proteína. "Foi também na Esalq que identificamos a possibilidade de aumentar a produção de leite".

O cientista diz que hoje o consumidor da bebida procura mais as versões desnatadas e semi-desnatadas. Por outro lado, vem caindo o consumo de leite integral e manteiga (sub-produto da fabricação de leite desnatado). "Portanto, a gordura do leite tem perdido seu valor ao longo das últimas duas décadas. O resultado da pesquisa contribui para deixar de produzir algo que tem valor decrescente e simultaneamente aumentar a produção de proteína do leite, cada vez mais valorizada."

Hoje, a empresa detentora da patente do produto o está apresentando para órgãos regulatórios dos EUA e Canadá. Ele passará por uma série de estudos com o objetivo de comprovar suas propriedades e segurança. O processo levará entre dois e três anos, segundo Lanna. "Esta empresa está montando uma fábrica na Europa, visando os mercados europeu e norte-americano."

A patente da descoberta pertence à Universidade de Cornell (para o efeito sobre o teor de gordura) e à USP e Fapesp (no caso do efeito no teor de proteína e produção de leite). Agora que a técnica passou para o setor privado, o grupo de Lanna trabalha em outra frente de pesquisa: estudar mecanismos que permitam que o próprio animal transforme as gorduras da dieta em CLA dentro do estômago, em vez de produzir o composto em laboratórios para depois adicioná-lo à ração. "Estamos tentando entender quais são as bactérias no estômago dos ruminantes que produzem esses CLAs. A intenção é aumentar a concentração destas substâncias benéficas à saúde e capazes de alterar a composição do leite", diz ele. (Agência USP)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Quinta, 01 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)