Cassilândia, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

16/04/2016 09:30

Psoríase: tratamentos envolvem uso de pomadas e terapia fotodinâmica

Minha Vida - Dra. Denise Steiner - CRM 36505/SP

 

A psoríase é uma doença inflamatória crônica da pele, que se manifesta, na maioria das vezes, por lesões róseas ou avermelhadas, recobertas por escamas esbranquiçadas. A psoríase é muito comum e afeta cerca de 4% da população, tanto homens quanto mulheres. Normalmente, a doença aparece entre os 30 e 40 anos, mas, por questões genéticas, podem atingir menores de 15 anos.

As áreas do corpo mais afetadas pela psoríase são o cotovelo, joelhos e couro cabeludo. Mas pode ocorrer de a doença se espalhar por toda a pele. Frequentemente as unhas também são atingidas. As articulações também podem ser afetadas, dando origem à artrite psoriática.

Os motivos que causam a psoríase ainda não estão totalmente claros. Pesquisas científicas demonstram que pode ser uma doença hereditária ou desencadeada pelo estresse emocional, traumas ou irritações na pele, infecções na garganta e alguns medicamentos. Geralmente, o indivíduo portador da doença é exigente, crítico e perfeccionista. O que se sabe é que para o portador da psoríase, é como se o corpo todo ou parte dele resolvessem declarar guerra, fazendo com que as células se multiplicassem fora do normal.

A evolução da psoríase depende da sua forma clínica. Às vezes ela é inicialmente grave, com muitas placas; ou permanece leve, atingindo pequenas áreas do corpo. O ambiente é um fator que influencia no aparecimento ou desenvolvimento da doença. A indicação é que o paciente tenha uma alimentação equilibrada e saudável e evite o álcool ? pois ele é um dos fatores que pioram a psoríase. O sol, sem exagero, pode melhorar as lesões. Já no período do inverno, a psoríase pode piorar.

Tratamento da psoríase

O tratamento é escolhido pelo dermatologista e vai levar em conta os sintomas, a gravidade e o quanto a doença afeta a autoestima do paciente. O médico pode optar entre pomadas de corticoides, vitamina D, medicamentos biológicos ou tratamento com ultravioleta. Há uma nova modalidade de tratamento da psoríase, usando-se a terapia fotodinâmica.

A terapia fotodinâmica consiste em usar um creme específico, o ácido aminolevulínico nas lesões, deixando-o em contato com a pele por duas horas e aplicar uma luz de comprimento de onda vermelha. O creme promove uma interação com a pele e reage quimicamente com as células da área inflamada. Essas células ficam marcadas e são destruídas pela luz que tem esse alvo específico. É uma terapia muito utilizada também para tratar lesões pré-cancerosas e também acne inflamada. O creme é passado nas áreas específicas, que são deixadas fechadas com papel alumínio por 2 horas e depois aplica-se a luz vermelha. A pele fica muito vermelha após a luz e essa terapia é contraindicada em pacientes que tem doenças sensíveis à luz e também a quem é sensível à dor.

Já o tratamento com ultravioleta consiste em fazer sessões semanais em cabines de luz. O médico ajusta o tempo que se ficará exposto nessa cabine após avaliar quantos joules serão suficientes por sessão. A pessoa fica numa sala especial e acionam-se as lâmpadas que emitem a luz, determinando previamente o tempo necessário. A luz é ultravioleta B de comprimento de onda estreito (311 nm). O tempo vai aumentando semanalmente e o máximo de sessões preconizadas é de 200 sessões no total. O médico é que tem que indicar o tratamento. O tratamento com ultravioleta é contraindicado para pessoas com intolerância à luz e doenças de fotossensibilidade como lúpus eritematoso, urticária solar entre outros.

As pomadas de corticoide são substâncias tópicas, elas têm a formulação de um anti-inflamatório, como cortisona. O médico indica a pomada de cortisona, determinando a frequência do uso. O corticoide tópico é usado de três a quatro vezes por semana no local da placa de psoríase e não deve ser usado em crianças e também evitado em áreas genitais. O corticoide mesmo tópico, pode causar atrofia, estrias, aumento de pelo, avermelhamento local.

Não há tratamento com vitamina A, somente derivados do mesmo, como acitretina. O remédio é via oral e tem que ser indicado pelo médico. O uso tópico da vitamina A não é indicado, os derivados da vitamina A sistêmicos são contra indicados para grávidas e também pessoas com doenças de fígado ou colesterol muito alto. Já a vitamina D é usada tópica, em geral duas a três vezes por semana e também indicada elo médico. Não há contra indicações especificas para uso da vitamina D tópica.

O tratamento da psoríase é complexo e depende de um diagnóstico médico dermatológico. O médico levará em conta a idade do paciente, suas doenças e fragilidades e a disponibilidade para o tratamento. O tipo de psoríase (placas, generalizada, pustulosa, no couro cabeludo, unha), também será determinante na escolha do tratamento. O esperado de cada tratamento é a melhora do paciente que geralmente demora. Os tratamentos podem ser mudados, conforme a situação. O resultado de melhora é esperado em cerca de três meses, se não houver melhora é necessário mudar o tratamento.

É importante evitar a automedicação, especialmente os corticoides, pois a pele pode viciar e não responder ao tratamento. Além disso, pode provocar estrias, o afinamento da pele, inchaço, descontrole da pressão e diabetes. Outros medicamentos quando usados sem prescrição médica, como o lítio, podem piorar as lesões.

A psoríase não causa dor, mas confere ao portador uma aparência desagradável da pele - o que muitas vezes faz com que o paciente seja vítima de preconceito ou se isole socialmente. O dermatologista tem muito mais sucesso no tratamento da doença, se o lado emocional do portador também for trabalhado.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)