Cassilândia, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

12/07/2007 19:10

PSDB decide abandonar Senado em protesto

Marcos Chagas/ABr

Brasília - O primeiro vice-presidente do Senado, Tião Viana (PT-AC), leu nota do presidente do Senado, Renan Calheiros, justificando o adiamento da reunião da Mesa Diretora para terça-feira (17)
Brasília - O PSDB decidiu hoje (12) paralisar a participação da bancada em todos os trabalhos legislativos do Senado enquanto Renan Calheiros continuar no exercício da Presidência da Casa. A decisão foi anunciada em plenário pelo presidente do partido, Tasso Jereissati (CE). Logo em seguida, o líder do partido no Senado, Artur Virgílio (AM), foi à tribuna esclarecer que a decisão foi tomada apenas para a sessão de hoje. "O partido não vai fugir de suas responsabilidades para votar o que for necessário", disse. "Da tribuna é que vamos dizer o que a Nação precisa ouvir", completou.

Tasso explicou que a atitude do partido foi gerada após o anúncio, pelo primeiro vice-presidente do Senado, Tião Viana (PT-AC), de que Renan convocou para as 11 horas de terça-feira (17), véspera do recesso parlamentar, uma reunião da Mesa Diretora para decidir o encaminhamento do pedido que o Conselho de Ética fez à Polícia Federal para que aprofundasse as investigações contra o presidente do Senado. A convocação da reunião para a véspera do recesso poderia levar ao adiamento da decisão por falta de quórum.

“Essa é uma atitude clara de protelação dos trabalhos de investigação”, disse Jereissati. “Ele diretamente, como presidente, tomou uma posição que prejudica as investigações. Não tem condições de presidir o Senado”.

O PSDB, acompanhado do partido Democratas, P-Sol e dos senadores Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) e Cristóvam Buarque (PDT-DF) abandonaram o plenário também em protesto contra a decisão de Renan. Esses partidos e alguns parlamentares decidem ainda hoje uma posição unificada contra o presidente do Senado.

O senador Demóstenes Torres (DEM-GO), que participa da reunião, disse que “nós vamos decidir como agiremos, em conjunto, os partidos de oposição e algumas pessoas da situação, para que possamos organizar uma forma de resistência para que a investigação prossiga”.

O senador Jarbas Vasconcelos afirmou que “da mesma forma como o presidente se sente em condições de continuar presidente a Casa, a oposição sente-se no direito de não votar mais nada na Casa”.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)