Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

14/01/2007 07:25

Proposta regulamenta gestão financeira do ensino

Agência Câmara

A Câmara analisa o Projeto de Lei Complementar 355/06, da deputada Luciana Genro (Psol-RS), que estabelece as normas de financiamento e de gestão financeira das instituições federais de ensino superior. A proposta obriga a União a alocar às instituições federais de ensino superior por ela mantidas no mínimo 75% do percentual constitucional obrigatório destinado à educação, que equivale a 18% da receita arrecadada.

Além desse montante, deverá também enviar os recursos voltados para a cobertura das despesas de pessoal e encargos dos inativos e das despesas do âmbito dessas instituições que não se enquadrem na condição de manutenção e desenvolvimento do ensino, repassados em duodécimos mensais. A intenção da proposta é garantir que haja recursos para garantir o desenvolvimento da atividade acadêmica, independentemente da cobertura das despesas de pessoal.

O projeto, explica a autora, foi elaborado pelo Sindicato Nacional dos Docentes do Ensino Superior (Andes-SN) e discutido em audiência pública, convocada pela Frente Parlamentar e Social em Defesa da Universidade Pública. Participaram da discussão parlamentares, professores, estudantes e o Andes-SN, além de outras entidades.

Garantia de financiamento
De acordo com Luciana Genro, os debates em torno da Constituição de 1988 levaram à conclusão de que somente a garantia de financiamento público das instituições de ensino superior asseguraria sua existência e o exercício da autonomia universitária. Essa garantia, continua a deputada, só se firmaria se fixada por meio de lei complementar que estabelecesse normas gerais capazes de assegurar recursos para a gestão financeira.

A proposta determina que a dotação deverá garantir recursos para despesas de pessoal e encargos, custeios e capital, assistência estudantil e expansão e fomento. A distribuição de recursos entre as instituições federais de ensino superior será estabelecida de acordo com critérios, pactuados entre elas, que garantam seu funcionamento e aperfeiçoamento.

Os recursos destinados a expansão e fomento devem ser equivalentes, no mínimo, à diferença entre o total das dotações e o valor destinado a despesas de pessoal e encargos, custeio e capital e assistência estudantil. Eles deverão ser enviados ao Ministério de Educação, que os distribuirá para atender as diretrizes constitucionais de padrão de qualidade; indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão; universalização do acesso; aprimoramento; e revitalização.

O que sobrar dos valores atribuídos a custeio e capital e assistência estudantil deve ser transformado em crédito da instituição. Se os recursos restantes depois de extraída a verba para expansão e fomento não forem suficientes para cobrir as outras despesas, a União deverá fazer uma complementação com recursos extraordinários.

Provimento de cargos
A proposta ainda determina que a instituição terá liberdade de prover os cargos de servidores, docentes e técnicos, inclusive substituições. Para as ampliações necessárias, deverá obedecer ao plano de expansão pactuado entre as instituições.

A proposição também isenta as instituições de dívidas decorrentes de processos trabalhistas anteriores à promulgação dessa lei. Esses encargos deverão ser pagos por dotação suplementar da própria da União.

Tramitação
A proposta tramita em regime de prioridade e deverá ser analisada pelo Plenário. Antes, será examinada pelas comissões de Educação e Cultura; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)