Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

14/07/2004 15:18

Projeto restringe abertura de curso público de medicina

Agência Câmara

A Comissão de Seguridade Social e Família analisa a sugestão de somente permitir a abertura de universidades públicas de medicina em regiões onde houver carência de médicos. "Nas demais regiões, a abertura de novas faculdades de medicina fica restrita somente a instituições particulares e, entre essas, àquelas que preencham determinados requisitos básicos de qualidade", explica o deputado Rafael Guerra (PSDB-MG), autor do projeto (PL 3624/04) com essas sugestões.
O número de médicos no Sul, Sudeste e Centro-Oeste é, segundo o parlamentar, muito superior ao recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), de um médico para cada mil habitantes. No entanto, no Norte e Nordeste essa relação é inferior. "A má distribuição de médicos é, ainda, agravada pela grande concentração desses profissionais nas capitais e nas cidades de maior porte", afirma.

Garantia de qualidade
"A proposta tem o duplo objetivo de proteger a população de médicos despreparados - evitando a abertura de cursos de má qualidade - e de estimular a abertura de novos cursos nas regiões onde se façam necessários", explica Rafael Guerra.
A proposição lista várias condições para autorizar a abertura de cursos de medicina e assegurar-lhes o reconhecimento. Entre os aspectos que serão avaliados, destaca-se a biblioteca, os laboratórios e o acesso a hospital universitário que ofereça vagas em programas de residência médica. Também serão avaliadas a formação do corpo docente e a realização de atividades de extensão que atendam a população carente local. "Médicos com formação deficiente representam um risco para a saúde pública. Por isso, os critérios de qualidade indispensáveis para a abertura de novos cursos médicos são diversos dos aplicados aos demais cursos superiores", argumenta Guerra.

Andamento
A matéria está sendo relatada pela deputada Thelma de Oliveira (PSDB-MT) na Comissão de Seguridade Social. Em seguida, será apreciada pelas comissões de Educação e Cultura; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Como em tramita em caráter conclusivo, o projeto poderá ser encaminhado ao Senado Federal sem passar pelo plenário da Câmara.



Reportagem - Natalia Doederlein
Edição - Regina Céli Assumpção


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)