Cassilândia, Domingo, 21 de Outubro de 2018

Últimas Notícias

19/03/2014 11:10

Projeto de “cartorião” abre polêmica entre TJ e sindicato de servidores

Aline dos Santos, Campo Grande News

Com a proposta de criar um “cartorião”, o projeto 007/2014 coloca em rota de colisão o TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) e o Sindijus (Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário).

A proposta do Poder Judiciário, que tramita desde 11 de fevereiro na Assembleia Legislativa, é instituir a CPE (Central de Processamento Eletrônico de Feitos Judiciais). O projeto ainda cria a Secretaria Judiciária de Primeiro Grau. Antes de seguir para o Legislativo Estadual, a proposta foi aprovada pelo Tribunal Pleno.

Entre os servidores, a CPE foi apelidada de “cartorião”. Segundo o presidente do Sindijus, Clodoir Fernandes Vargas, a centralização deve diminuir o fluxo de processo em algumas comarcas, resultando em desativação.

"Preocupa um projeto dessa magnitude”, afirma. A direção do sindicato procurou os deputados estaduais e pede a realização de uma audiência pública para consulta à sociedade, OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e Ministério Público. Segundo ele, com a desativação de comarca, os servidores terão que ser removidos.

Após reunião nesta semana com o presidente do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), Joenildo de Sousa Chaves, a tramitação do projeto foi suspensa. "Vamos marcar uma reunião, provavelmente no dia 29, para explicar o projeto aos servidores", diz o presidente do Sindijus.

Conforme o projeto encaminhado à Assembleia, “a proposta tem como objetivo otimizar a utilização de mão de obra, concentrando em um único local dividido por coordenadorias especializadas, a realização de tarefas de todos os cartórios judiciais do Estado, com exceção daquelas que exijam atendimento pessoal”.

A CPE foi testada em um projeto piloto e é anunciada como uma das marcas da administração 2013/2014. No teste inicial, a proposta, idealizada pelo juiz auxiliar da presidência, Vitor Luis de Oliveira Guibo, foi implantado com 15 servidores. Eles trabalharam, especificamente, com cálculo de pena, controle de prazo e expedição.

Conforme a assessoria de imprensa do tribunal, a centralização do processamento permite a padronização do procedimento de trabalho, a uniformização de modelos, foco na execução de processos, especialização na execução dos trabalhos, segurança para o servidor, redução de custos para a administração e, principalmente, mais produtividade do servidor.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 21 de Outubro de 2018
11:00
Mundo Fitness
09:00
Santo do Dia
Sábado, 20 de Outubro de 2018
11:00
Mundo Fitness
09:00
Santo do Dia
Sexta, 19 de Outubro de 2018
09:00
Santo do Dia
04:16
Cassilândia
Quinta, 18 de Outubro de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)