Cassilândia, Quarta-feira, 18 de Setembro de 2019

Últimas Notícias

11/01/2008 14:40

Projeto aumenta tempo exigido para progressão penal

O Projeto de Lei 1525/07, da Comissão de Legislação Participativa, amplia o período de permanência do detento em um regime antes de permitir a progressão para um regime menos rigoroso. Atualmente, o detento pode obter a progressão ao cumprir 1/6 da pena, se apresentar bom comportamento.

Segundo a proposta, essa progressão só acontecerá quando o preso tiver cumprido ao menos 1/3 da pena, quando for primário. Os detentos reincidentes terão que cumprir 2/3 da pena no regime anterior e ter bom comportamento carcerário, comprovado pelo diretor do estabelecimento.

O projeto determina que a progressão seja calculada sempre pela pena total prevista na fixação inicial. Além disso, proíbe a concessão de indulto coletivo a condenados por crimes hediondos.

De acordo com o projeto, o presidiário que fugir durante a execução penal passará automaticamente para o regime fechado. O detento capturado após a fuga só poderá requerer liberdade condicional se possuir excelente comportamento. O Ministério Público precisará ser ouvido em todos os processos para concessão da progressão de regime.

Violência
Caso o foragido cometa novo crime doloso (com intenção) e com violência física, ao ser recapturado, não terá direito à progressão de regime nem ao trabalho externo. O projeto extingue ainda a suspensão da pena e o regime aberto no início das penas, que sempre começarão em regime fechado ou semi-aberto, quando privativas de liberdade.

O objetivo do projeto, segundo o autor, é tornar mais rigoroso o combate à criminalidade. "Do modo como está elaborada a norma penal, a condenação tem pouco valor como punição do agente criminoso, que pode, em curto período de tempo, ser posto em liberdade para cometer novos crimes", ressalta o presidente da Comissão de Legislação Participativa, deputado Eduardo Amorim (PSC-SE).

Para o deputado, a progressão de regime deve estimular um bom comportamento por parte do preso, para sua evolução no convívio com a sociedade. "Esse benefício deve ser compatível com a finalidade da lei, não podendo ser concedido com tanta facilidade nem tornar-se quase automático para o condenado."

O projeto, que altera a Lei de Execução Penal (Lei 7.210/84), teve origem em sugestão do Conselho de Defesa Social de Estrela do Sul.

Tramitação
A proposta tramita em conjunto com o Projeto de lei 4500/01. Os projetos estão prontos para serem votados pelo Plenário.



Agência Câmara

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 18 de Setembro de 2019
Terça, 17 de Setembro de 2019
09:00
Santo do Dia
Segunda, 16 de Setembro de 2019
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)