Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

20/03/2004 09:51

Programas de natalidade podem ser obrigatórios

Agência Câmara

Tramita na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania proposta de emenda à Constituição (PEC 241/04) que autoriza o Estado a implementar políticas públicas obrigatórias de controle de natalidade.
A PEC, de autoria do deputado Valdemar Costa Neto (PL-SP), retira da Constituição o trecho que impede o Estado de implementar ações coercitivas de planejamento familiar.

Combate à pobreza
O autor lembra que a Organização das Nações Unidas (ONU) reconheceu, em 2002, o controle de natalidade como instrumento fundamental para combater a pobreza nos países em desenvolvimento. "O relatório sugere, entre outros itens, que há uma ligação estrita entre demografia e crescimento econômico, ressaltando que as nações que derrubaram suas taxas de natalidade conseguiram ampliar sua produtividade, poupança interna e investimentos produtivos", argumenta.
Na avaliação de Costa Neto, as conseqüências de um crescimento populacional desordenado são diversas: os já existentes problemas na área de saúde, educação e infra-estrutura são potencializados; a concentração de renda é favorecida e os índices de criminalidade aumentam significativamente.
Tramita apensada à proposta a PEC 584/02, de autoria do deputado Jair Bolsonaro (PPB-RJ), que obriga o Estado a propiciar os recursos educacionais, materiais e científicos necessários ao planejamento familiar, inclusive para a realização de vasectomia e de laqueadura de trompas, para maiores de 21 anos.

Tramitação
A proposta encontra-se na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, que analisará sua admissibilidade. Se aprovada, a PEC terá seu conteúdo examinado por uma comissão especial de deputados e, em seguida, pelo Plenário, em dois turnos, com quorum de 60% da Câmara (308 parlamentares).

Da Redação/PR

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)