Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

30/07/2004 08:58

Programa Saúde da Família faz dez anos

Irene Lôbo / ABr

Dez anos após a sua criação, o programa atende hoje cerca de 67 milhões de brasileiros e carrega o propósito de reorganizar a prática da atenção à saúde em novas bases e substituir o modelo tradicional, levando a saúde para mais perto da família. Com um orçamento estimado para 2004 de R$ 2 bilhões, o PSF prioriza as ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde. O atendimento é prestado na unidade básica de saúde ou no domicílio por cada uma das equipes do PSF, compostas por um médico, um enfermeiro, um auxiliar de enfermagem e entre quatro a seis agentes comunitários. Cada equipe atende, em média, 3,5 mil pessoas por mês. Os moradores visitados são indicados por agentes comunitários de saúde, que identificam aqueles que têm dificuldade de ir até o posto de atendimento. A prioridade são as crianças, gestantes, idosos, hipertensos e diabéticos. As equipes também se mantêm atentas à ocorrência de doenças de notificação compulsória, como a hanseníase, a tuberculose e a aids. Com esse modelo aparentemente simples de assistência à saúde, o programa constrói uma relação médico-paciente mais forte, mais estreita e de respeito.A confiança mútua facilita a identificação e o atendimento aos problemas da comunidade. “Antes e

Brasília - A cena lembra a figura do médico da família de antigamente. O clínico geral Marco Aurélio Cândido, de 31 anos, visita a casa da costureira Leontina Maria Oliveira, moradora do bairro Vila Pedroso, na periferia de Goiânia. Assim que chega, logo pergunta se dona Leontina está tomando regularmente o remédio que controla a hipertensão. Ele senta, afere a pressão, examina, conversa, ouve e orienta.

O médico integra uma das 20.561 equipes do Programa Saúde da Família (PSF) espalhadas por 83,6% dos municípios do país. Dez anos após a sua criação, o programa atende hoje cerca de 67 milhões de brasileiros e carrega o propósito de reorganizar a prática da atenção à saúde em novas bases e substituir o modelo tradicional, levando a saúde para mais perto da família.

Com um orçamento estimado para 2004 de R$ 2 bilhões, o PSF prioriza as ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde. O atendimento é prestado na unidade básica de saúde ou no domicílio por cada uma das equipes do PSF, compostas por um médico, um enfermeiro, um auxiliar de enfermagem e entre quatro a seis agentes comunitários. Cada equipe atende, em média, 3,5 mil pessoas por mês.

Os moradores visitados são indicados por agentes comunitários de saúde, que identificam aqueles que têm dificuldade de ir até o posto de atendimento. A prioridade são as crianças, gestantes, idosos, hipertensos e diabéticos. As equipes também se mantêm atentas à ocorrência de doenças de notificação compulsória, como a hanseníase, a tuberculose e a aids.

Com esse modelo aparentemente simples de assistência à saúde, o programa constrói uma relação médico-paciente mais forte, mais estreita e de respeito.A confiança mútua facilita a identificação e o atendimento aos problemas da comunidade.

“Antes eu tinha que ir até o hospital e muitas vezes esperava horas na fila para ser atendida. Hoje recebo o médico em casa, ele cuida de mim, passa a receita dos remédios e me leva para o hospital quando é preciso”, conta dona Leontina.

A confiança também é percebida pelo profissional de saúde. “O vínculo é muito forte. As famílias têm uma confiança muito grande na gente e acabam consultando a equipe sobre diversos assuntos ligados à saúde”, completa o médico Marco Aurélio.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)