Cassilândia, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

Últimas Notícias

07/12/2006 06:10

Prof. Rosildo - Cinto de Segurança - Seu amigo do Peito

*Rosildo Barcellos

cinto de segurança é um dispositivo simples que serve para proteger sua vida e diminuir as conseqüências dos acidentes. Ele impede, em casos de colisão, que seu corpo se choque contra o volante, painel e pára-brisas,
ou que seja projetado para fora do carro,aumentando a possibilidade de lesão e conservando sua consciência .

Em uma colisão de veículos a apenas 40km/h, o motorista pode ser atirado violentamente contra o pára-brisas ou arremessado para fora do carro. Alguns motoristas pensam que podem amortecer o choque segurando firmemente
no volante. Isto é ilusório, porque a força dos braços só é eficaz a uma velocidade de até 10 km/h.

Lembrando da Física e das leis de Newton, é cediço que em caso de colisão, tombamento ou capotamento, primeiro o veículo bate num obstáculo, e, em seguida, os passageiros são projetados contra o painel, o pára-brisas, ou
uns contra os outros. O cinto evita esta segunda colisão, segurando e mantendo motorista e passageiros no banco. O acidente gera uma carga que é uniformemente distribuída ao longo de toda a área de contato do cinto
sobre o corpo humano. Estas áreas são os nossos pontos mais fortes. O próprio cinto absorve parte do impacto.

É importante sentar-se corretamente no banco e com a coluna bem reta. O cinto abdominal deve ser colocado na região dos quadris e não na barriga. O cinto diagonal deve passar pelo ombro. O cinto não deve estar torcido
nem com folgas.Um dos principais argumentos das pessoas que preferem discursar e correr riscos a adquirir o hábito de usar o cinto de segurança é o de que \"cintos podem machucar e provocar lesões\".

Na realidade, a análise dos raros casos em que o cinto de segurança ocasionou algum tipo de trauma concluiu que, na imensa maioria das vezes: o choque fora tão violento que os danos seriam maiores sem o cinto de
segurança ou houve uso inadequado do cinto. Os cintos de segurança são desenvolvidos tendo por base o indivíduo
adulto. Por isto, não devem ser usados por crianças com menos de 1,40m de altura. A correta utilização do cinto de segurança por crianças, grávidas e bebês é diversa da forma com que os demais passageiros e condutor o
utilizam.

O QUE DIZ A LEI
O Código de Trânsito Brasileiro impõe ações preventivas para evitar desastres e os traumatismos decorrentes do transporte inadequado. O Código é claro: Em regra geral,crianças com idade inferior a dez (10) anos devem
ser transportadas no banco traseiro (art. 64) e usar, individualmente, cinto de segurança (Resolução nº 15, art. 1º).O artigo 167 do Código de Trânsito Brasileiro, diz que todos os passageiros estão obrigados a utilizar o cinto de segurança . A desobediência a este artigo constitui infração grave, ficando o motorista sujeito a multa de R$ 127,69 e cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação.

O IMPACTO
Qualquer impacto provoca desaceleração brusca e tudo que estiver solto dentro do veículo continuará com a velocidade anterior, sendo projetado, indo chocar-se contra o que estiver na sua frente (painel, volante,
bancos). O corpo da criança, em relação ao do adulto, possui fragilidade maior, por ter tamanho menor e estruturas mais frágeis, sofrendo as conseqüências de um acidente com mais intensidade e gravidade. As regiões mais vulneráveis na criança são a cabeça e o pescoço. Movimentos bruscos e intensos da cabeça e do pescoço, para frente e para trás, podem provocar graves lesões nestas estruturas, com maior freqüência do que no adulto.

O CINTO DE SEGURANÇA
Utilizar de maneira correta o cinto de segurança e a cadeirinha, dispositivos que mantém o passageiro preso no banco do automóvel, é a melhor maneira de proteção num acidente. O uso do cinto do automóvel é indicado somente quando a criança ou adolescente estiver com altura mínima de 1,45m e conseguir sentar-se corretamente no banco do automóvel, com os pés apoiados em seu piso. O cinto deve apoiar-se sempre nas partes ósseas e sua faixa transversal deve passar no meio do ombro e diagonalmente pelo tórax. A faixa sub-abdominal deve ficar apoiada nas saliências ósseas do quadril. Se a faixa transversal cruzar a região do estômago da criança,
esse cinto é considerado inadequado. O de três pontos ou mais são recomendáveis. Mas, mesmo o mais simples, é sempre necessário usar o cinto de segurança, que evita a projeção do corpo contra obstáculos.

A GESTANTE
A distância entre a barriga e o volante deve ter, no mínimo, 15 cm. A gestante deve evitar dirigir por longa distâncias, jejum, calor ou frio excessivo e estradas ruins. A faixa diagonal do cinto de segurança deve cruzar o meio do ombro, passando entre as mamas e nunca sobre o útero. Tonturas, inchaço, inflamação ou dor podem impedi-la temporariamente de dirigir. Deve dirigir enquanto estiver bem e parar quando houver desconforto.

A CADEIRINHA
Enquanto o bebê não conseguir sentar-se e manter o equilíbrio da cabeça deve ser utilizado assento tipo concha no banco traseiro, desde o nascimento até a criança pesar aproximadamente 8 kg. Um acompanhante deve
ficar ao seu lado durante o percurso. Não sendo possível é recomendável colocá-la de costas para o motorista pois a maioria dos acidentes em Mato Grosso do Sul são saídas de pista ou colisões e choques que projetam a
criança a frente ou ao lado. Qualquer tipo de cadeirinha deve ser sempre instalada ou afixada no banco traseiro pelo cinto de segurança do veículo. A cadeirinha fica inadequada quando a nuca da criança ultrapassa seu encosto. Quando a cadeirinha torna-se pequena, deve ser substituída por um banquinho auxiliar (booster) especialmente projetado para ajuste no banco traseiro, que possibilita o uso do cinto do próprio veículo.

A SEGURANÇA
O local mais seguro dentro de um veículo é o centro do banco traseiro. O cinto é tanto mais seguro quanto em mais pontos se fixar. A criança deve aprender a se comportar dentro do veículo. Crianças inquietas, que se
recusam a ficar sentadas e atreladas ao banco, que insistem em viajar de pé, expondo-se a perigos e atrapalhando o condutor (distraindo-o e obstruindo o retrovisor interno) devem ser educadas sobre os riscos destas atitudes. Manuseio de objetos pontiagudos devem ser evitados para impedir engasgamentos ou perfurações. O embarque e desembarque da criança devem ser feitos sempre pelo lado da calçada.E lembre-se:sem cinto, uma pessoa
de 70 kg no banco traseiro, em uma colisão frontal a 50 km/h, ao ser arremessada para a frente exerce força equivalente a 40 vezes seu peso, ou seja, cerca de 3 toneladas.
*articulista e professor


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 18 de Janeiro de 2017
Terça, 17 de Janeiro de 2017
23:53
Loteria
10:00
Receita do dia
Segunda, 16 de Janeiro de 2017
10:04
Coluna da juíza Luciane Buriasco Isquerdo
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)