Cassilândia, Quarta-feira, 29 de Março de 2017

Últimas Notícias

19/11/2004 13:40

Produtores protestam contra aumento dos insumos

Famasul Noticias

As federações estaduais de agricultura estão organizando um movimento pela suspensão das aquisições de insumos, máquinas e implementos agrícolas para tentar conter a alta dos preços cobrados pelas indústrias. Batizado de "compra zero", o protesto foi proposto pela representação de Mato Grosso na reunião da comissão de crédito rural da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), semana passada, em Cuiabá (MT), e deve voltar a ser discutido em um novo encontro, segunda-feira, desta vez em Campo Grande (MS).

Segundo o presidente da comissão de crédito rural da CNA e da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), Carlos Sperotto, a idéia é promover uma "pressão organizada e preventiva" sobre a indústria para evitar o aumento das dívidas dos produtores. Enquanto as cotações das principais commodities seguem em baixa, os custos acumulam altas superiores a 100% em alguns casos desde 2003, reclama o dirigente. Ele admitiu a possibilidade de pedir a intervenção do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), acusando as empresas de formação de cartel.

Levantamento feito pelo economista Tarcísio Minetto para a Federação das Cooperativas Agropecuárias do Rio Grande do Sul (Fecoagro) indica que nos últimos 12 meses os preços subiram mais de 20% no caso dos fertilizantes, de 15% a 20% nas máquinas e implementos e mais de 10% nos combustíveis. Ao mesmo tempo, a cotação da saca de soja despencou de R$ 43,30 em outubro de 2003 para R$ 32,28 no mês passado. Nesta semana, conforme a Emater-RS, o preço médio está em R$ 30,78.

Segundo o analista Antônio Sartori, da Brasoja, o preço da soja em Chicago saiu de US$ 10,60 o bushel em maio para US$ 5,40 ontem, abaixo da média de US$ 6,01 nos últimos 35 anos, enquanto os custos estão subindo desde 2003. Para ele, se a situação persistir, irá "inviabilizar" principalmente lavouras do Centro-Oeste, que têm maiores gastos com logística. "As indústrias querem parte do lucro dos produtores, mas o mercado caiu", disse.

"Estamos fazendo um alerta ao setor", afirmou Sperotto, que pretende iniciar os contatos com a indústria nos próximos dias. Segundo ele, apesar de o plantio da safra de verão estar adiantado, uma eventual paralisação das compras pelos produtores teria impacto nos contratos de financiamento de máquinas ainda não assinados e também no plantio da safrinha.

"Não podemos atuar na ponta dos preços das commodities, mas podemos atuar no controle dos custos", comentou. De janeiro a setembro, o volume de vendas de fertilizantes no país caiu 0,9% em comparação com igual período de 2003, para 15,7 milhões de toneladas, informa a Associação Nacional para a Difusão de Adubos (Anda).

Conforme Sperotto, parte dos problemas deve-se também à gradativa redução dos financiamentos agrícolas no país em relação ao aumento da produção. Ele explicou ainda que a CNA está pedindo que o governo brasileiro homologue o acordo com os demais países do Cone Sul para liberar o comércio de defensivos e fertilizantes da região. O Ministério da Agricultura já aprovou a proposta, mas ainda faltam as pastas da Saúde e do Meio Ambiente, de acordo com Sperotto.




Autor:
CNA - Valor Econômico - SP

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 29 de Março de 2017
Terça, 28 de Março de 2017
21:41
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)