Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

22/03/2005 15:19

Produtor define em comitê cobrança por uso da água

Jacqueline Lopes / Campo Grande News

A resolução que define as regras para a cobrança pela utilização da água doce de todas as bacias hidrográficas do país foi aprovada pelo CNRH (Conselho Nacional da Recursos Hídricos) e deve começar a ser aplicada em uma semana. Segundo o secretário de Recursos Hídricos do Ministério do Meio Ambiente, João Bosco Serra, a determinação prevê inicialmente a orientação quanto à cobrança.
“Não tem uma definição ainda de quando começar a ser cobrado, quem estabelece isso é o comitê de bacias que tem a participação de todos os setores, ou seja, os produtores estarão participando das decisões em suas localidades”.
A intenção é cobrar cerca de dois centavos de real por metro cúbico de água consumida ou, segundo o cálculo admitido pelo CNRH, 2% a mais na conta de água de cada consumidor brasileiro. As despesas mais significativas recairão sobre a indústria e empresas, especialmente aquelas ligadas à agricultura, que se utilizam da irrigação em grande escala e são consideradas as vilãs do consumo e dos danos ao meio ambiente. Os critérios de taxação serão definidos pelos comitês de cada região.
Porém, a resolução já foi aplicada (de 1997) na região do Paraíba do Sul, que banha Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. “Um comitê se reuniu e tomou a decisão. É uma região muito degradada pela mineração e industrialização e o dinheiro arrecadado é revertido para a recuperação do rio”.
Para Serra, essa é a lógica do sistema. De acordo com ele, não é imposto, pois “não vem de cima para baixo”.
Essa cobrança será um instrumento importante para inibir o processo de contaminação que prejudica a todos, diz prevendo uma fiscalização.
Serra diz ainda que leva tempo a conscientização, mas as pessoas que pagam perceberão que este é o caminho para que os recursos estejam garantidos e com melhor qualidade.
O secretário do Ministério do Meio Ambiente já foi a França buscar informações para embasar a aplicação da resolução no Brasil. “O abastecimento de água deles (franceses) está comprometido. A produtividade está abalada e todos concordam que deveriam ter começado a pagar antes para que não estivessem nessa situação”, defende.
O dinheiro, segundo critério estabelecido na resolução, deverá ser aplicado na recuperação ambiental das bacias hidrográficas - basicamente em saneamento. Serra deu entrevista nesta tarde no Programa Noticidade da FM Cidade.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)