Cassilândia, Sábado, 15 de Dezembro de 2018

Últimas Notícias

15/11/2018 14:00

Procuradoria cria grupo especial para investigar execução de advogada

Campo Grande News

A Procuradoria Geral de Justiça do Paraguai criou uma força-tarefa para conduzir as investigações sobre o assassinato da advogada Laura Marcela Casuso, 54, ocorrido segunda-feira (12) em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia vizinha de Ponta Porã (MS), a 323 km de Campo Grande.

Temendo influência do crime organizado sobre autoridades locais, o que poderia comprometer a apuração, os três promotores que vão chefiar as investigações são de Assunción, capital do Paraguai.

Os promotores Hugo Volpe, Alicia Sapriza e Marcelo Pecci foram designados para integrar o grupo que atua no caso. A promotora de Pedro Juan Caballero, Sandra Díaz, foi a única agente do Departamento de Amambay mantida nas investigações, mas ela vai atuar como coadjuvante.

Defensora de barões da droga, como os brasileiros Jarvis Gimenes Pavão e Fernando Marcelo Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, Laura era conhecida por confrontar autoridades paraguaias, a quem acusava de receber propina do crime organizado.

Laura foi alvejada por dez tiros de pistola 9 milímetros ao deixar uma reunião de mulheres maçônicas no bairro Maria Victoria, a 400 metros do território brasileiro. Os pistoleiros estavam em uma Toyota Hilux preta.

Com ferimentos no peito e no abdômen, que atingiram o pâncreas, o intestino e um dos rins, a advogada chegou a ser levada para o hospital regional e depois transferida para uma clínica particular, onde passou por cirurgia, mas não resistiu.

Ontem (14), o jornal ABC Color divulgou áudios de conversas de Laura com uma jornalista do diário e com outras pessoas em que a advogada faz sérias denúncias contra autoridades políticas do país.

Os alvos das acusações são o comissário Abel Cañete, um dos chefes da Polícia Nacional, a ministra da Senabico (secretaria nacional que cuida de bens apreendidos) Karina Gómez Narváez, o ex-ministro da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) Luis Rojas e o advogado Horacio Galeano Perrone.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 15 de Dezembro de 2018
10:00
Receita do dia
Sexta, 14 de Dezembro de 2018
10:00
Receita do dia
09:00
Santo do dia
06:57
Cassilândia
Quinta, 13 de Dezembro de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)