Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

03/07/2017 16:00

Procon condena preços diferenciados nas baladas

Campo Grande News

 

A Justiça e a Secretaria Nacional do Consumidor definiram que cobrar mais caro dos homens na balada é ilegal, mas com receio de que a suspensão da prática encareça os ingressos do público feminino, o Procon de Mato Grosso do Sul quer reunir representantes de casas noturnas, bares e estabelecimentos similares para buscar um consenso que não prejudique os consumidores.

A situação veio à tona após a decisão da juíza Caroline Santos Lima, de Brasília, a favor de um consumidor incomodado com valor mais alto no ingresso de um show. Com base no caso, a Secretaria Nacional do Consumidor, ligada ao Ministério da Justiça, emitiu uma nota técnica recomendando a adequação nas tabelas de preço.

“É humilhante para a mulher e penaliza o homem”, disse ao Campo Grande News o superintendente do Procon de Mato Grosso do Sul, Marcelo Salomão. Ele quer que o preço dos ingressos para ambos os sexos sejam os mesmos cobrados do público feminino atualmente.

“Se a mulher paga R$ 40 e o homem R$ 80, mas o ambiente é o mesmo, as bebidas são as mesmas, por que o homem não poderia pagar R$ 40 também?”, questiona Salomão.

No entendimento da Secretaria Nacional do Consumidor, conforme a nota técnica, a prática usa a mulher como isca para atrair homens aos ambientes, de modo que o mercado considera o público feminino “como um produto que pode ser usado para arrecadar lucros, ou seja, obter vantagens econômicas”.

O superintendente do Procon promete fiscalizar as casas noturnas e estabelecimentos similares em Campo Grande para evitar a prática abusiva, podendo, segundo ele, mandar agentes do órgão à paisana nesses eventos para fiscalizações surpresa.

Porém, o órgão não tem funcionários de plantão para fiscalizar in loco essas situações 24 horas. Portanto, a orientação dele para quem sentir-se prejudicado por ter pagado mais caro é exigir um comprovante do estabelecimento e depois acionar a procuradoria para que um processo administrativo seja aberto.

Dependendo da reincidência e do grau de diferenciação, a multa varia de R$ 4.846 a R$ 14.538, conforme Salomão.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)