Cassilândia, Domingo, 30 de Abril de 2017

Últimas Notícias

27/11/2006 08:37

Prisão em flagrante não assegura prisão preventiva

STJ

A liberdade provisória deve ser concedida sempre que não houver qualquer um dos requisitos que autorizem a prisão preventiva, mesmo que se trate de crimes hediondos e assemelhados. Com esse entendimento, a Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), seguindo o voto da ministra Maria Thereza de Assis Moura, concedeu habeas-corpus a Alexandre Augusto Kulnig, preso em flagrante pela morte da namorada, Caroline Ducati.

Alexandre foi preso no dia 15 de setembro de 2005 e denunciado por homicídio qualificado por motivo torpe e fútil. Ele foi encontrado em seu apartamento abraçado à namorada, que estava morta. Após o crime, ele teria tentado suicídio com o uso de maconha, álcool e do medicamento ritalina, além de ter cortado os punhos e o antebraço.

A defesa sustentou que a prisão em flagrante possui natureza pré-cautelar e, homologado o flagrante, o juiz deve examinar se estão presentes os requisitos autorizadores da custódia cautelar. Caso contrário, deverá conceder liberdade provisória. Argumentou-se também que o réu é primário, possui conduta ilibada no meio social, residência fixa e bons antecedentes e não dificultou a instrução, não ocultou provas, não tentou fugir do local nem negou a autoria do crime.

A relatora do processo, ministra Maria Thereza de Assis Moura, ao analisar a alegada ausência de fundamentação da decisão que decretou a prisão preventiva, ressaltou que o parágrafo único do artigo 310 do Código Penal autoriza o juiz a conceder liberdade provisória ao réu preso em flagrante, sempre que verificada a inocorrência de qualquer das hipóteses que autorizam a prisão preventiva. A própria doutrina também é nesse sentido. Assim, entende que a liberdade provisória deve ser concedida sempre que ausentes os requisitos autorizadores da prisão preventiva, ainda que se trate de crimes hediondos e a eles semelhantes.

A própria jurisprudência do STJ é no sentido de que o magistrado, ao negar a liberdade provisória, está obrigado a apontar os elementos concretos mantenedores da medida. A ministra cita precedente em que o ministro Gilson Dipp afirma: “A prisão preventiva é medida excepcional e deve ser decretada apenas quando devidamente amparada pelos requisitos legais, observando o princípio constitucional de inocência”, segundo o qual ninguém será considerado culpado até sentença penal condenatória.

A conclusão da relatora é que, no caso de Alexandre, não se justifica manter a prisão cautelar, uma vez que não foi demonstrada a sua necessidade. Assim, concedeu a liberdade provisória ao acusado. Destacou, no entanto, que, tendo em vista as internações de Alexandre no Instituto Psiquiátrico Forense e a instauração do incidente de insanidade mental, a liberdade provisória fica condicionada ao comparecimento do paciente a todos os atos do processo, sujeitando-se ainda aos tratamentos psiquiátricos que se fizerem necessários.


Autor(a): Rosiene Assunção

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 30 de Abril de 2017
09:00
Maternidade
Sábado, 29 de Abril de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)