Cassilândia, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

27/11/2008 16:11

Presa de Bataguassu vence o 1º Miss Penitenciária MS

Ângela Kempfer e Aline dos Santos, Campo Grande News
Minamar JuniorMinamar Junior

Com 1,80 e 64 quilos, a ex-jogadora de vôlei Natalia Helena Andrade, de 22 anos, é a primeira Miss Penitenciária MS. Há 3 anos presa por tráfico de drogas, e com mais 2 anos de pena pela frente, as últimas semanas foram um “refresco” na vida da jovem, vinda de Bataguassu.

Na etapa municipal, concorreu com outras 17 internas. Diz nunca ter participado de qualquer competição como essa, mas depois de vencer a primeira etapa, até curso de postura resolveu encarar.

O título estadual veio nesta manhã, no presídio feminino de Campo Grande, depois de ser avaliada com outras seis meninas em desfiles de trajes esporte fino, roupa de banho e vestido de gala (o de Natalia foi alugado pela prefeitura de Bataguassu).

Ao final, a alegria de ser escolhida, fotos de Miss e uma ajuda para que a partir de agora os dias não sejam mais tão chatos dentro da penitenciária. Natália ganhou uma TV 29 polegadas para levar para a cela.

Ao responder se tem namorado, a nova Miss disse não. Com os comentários de que agora ficaria mais fácil, Natália apenas abriu um sorriso.

Em segundo lugar, ficou Carolina da Silva, de Campo Grande e em 2º lugar, Heidi Caroline, de Rio Brilhante. Também vieram representantes de Ponta Porã, Corumbá, Três Lagoas e São Gabriel do Oeste.

No júri, diretores da Agepen (Agência do Sistema Penitenciário), o empresário Pierre Adri, da Revista Destaque, e a Miss MS deste ano Pilar Velasques. “Para mim o que vale é a beleza”, anunciou o diretor da Agepen, Deusdete Souza Oliveira. “Meu critério é simpatia”, defendeu Pilar.

Ao som ao vivo de banda de pagode e dupla sertaneja, presas da Capital formavam uma torcida organizada e uniformizada.

O evento teve gente ilustre, como a primeira-dama do Estado, Beth Puccinelli, e foi organizado pela mesma equipe responsável pelo Miss MS 2008. Duas tendas foram montadas na quadra, uma para ninguém suar na passarela, outra para maquiagem profissional, cabelereiro e troca de roupas.

O camarim era o principal ponto de agitação. “Eu nunca havia participado de nenhum concurso, mas tive ajuda das amigas e agora estou aqui”, falou entre a mudança de roupa e a maquiagem a candidata de Ponta Porã, Gláucia Barros, de 19 anos.

Verdade - A rotina de prisão quebrada hoje, aos poucos vai sendo lembrada entre um depoimento e outro. A diretora de Campo Grande, lembra que são 370 presas em um local para 218. “E 80% estão aqui por causa do tráfico de drogas”, reforça a diretora Ângela Maria dos Santos Moreira.

A experiência mostra que nos presídios femininos “a mulher fica mais estressada”, diz Ângela, e para piorar há dois anos não existe visita íntima, por falta de estrutura do sistema prisional.

Como muitas são de outras cidades e até de outros Estados, ver a família também é algo complicado. O jeito é se aproximar das outras internas.

No caso de Cássia Janaina, de 20 anos, a única felicidade é estar perto da filha de 5 meses, mas só a possibilidade da menina deixar o presídio, deixa a mãe apreensiva. “Disseram que com seis meses a criança sai daqui”.

As crianças podem ficar com as mães durante o período de amamentação, mas depois são entregues a parentes. No caso de Cássia isso significaria distância. A família é de Cuiabá, de onde ela saiu, com destino a São Gabriel do Oeste, com drogas. Acabou presa e condenada a 6 anos.

De Corumbá, Rosenil Fernandes, também de 22 anos, é outra a cumprir pena na Capital , mas diz que a quinta-feira foi de alegria. “Um dia assim faz a diferença”.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)