Cassilândia, Sábado, 23 de Setembro de 2017

Últimas Notícias

08/04/2013 15:13

Prefeita de Miranda é cassada pela segunda vez em duas semanas

Zemil Rocha, Campo Grande News

Pela segunda vez em duas semanas, o juiz Marcel Henry Batista de Arruda, da 15ª Zona Eleitoral, decidiu pela cassação dos mandatos eletivos da prefeita de Miranda, Juliana Almeida (PT), e do vice-prefeito Sidnei Barbosa de Araújo (PSC), cumulada com a decretação da inelegibilidade por oito anos. Desta vez, a ação de impugnação de mandato eletivo foi ajuizada por Marlene de Matos Bossay (PRB) e Celso Moraes de Souza (PDT), que foram candidatos a prefeito e a vice derrotados na eleição de outubro do ano passado, por apenas 183 votos de diferença.

A decisão anterior sobre a cassação do prefeito e vice de Miranda, a partir de ação proposta pelo Ministério Público, foi tomada no dia 22 de março e publicada no Diário Oficial da Justiça Eleitoral de 26 de março, decorrente da acusação de compra de votos na campanha do ano passado. Além da cassação, a decisão os tornou-os inelegíveis por oito anos e os condenou a pagar multa de R$ 10 mil.

O juiz Amaury da Silva Kuklinski, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), concedeu liminar no dia 4 de abril à prefeita Juliana Pereira Almeida, para que continuasse no cargo, anulando o despacho do juiz juiz Marcel Henry Batista de Arruda, da 15ª Zona Eleitoral, que tinha enviado ofício à presidenta da Câmara Municipal, Kátia Rôas (PSB), para que ela assumisse, interinamente, a chefia do Executivo.

Na sentença da última sexta-feira (5), publicada hoje, o juiz Marcel Henry Batista de Arruda, da 15ª Zona Eleitoral, ao decretar a perda do mandato da prefeita, também anulou os 5.865 votos atribuídos a ela na eleição passada, o que abre caminho para que a segunda colocada na disputa, Marlene de Matos Bossay, que obteve 5.682 votos, assuma o cargo. Não haverá necessidade de nova eleição, pois a prefeita eleita não obteve mais de 50% dos votos.

A acusação foi de compra de votos. Segundo o juiz Marcel Henry ficou comprovado nos autos do processo, de 68 páginas, o “pagamento de diversos eleitores da Aldeia Lalima da quantia de R$ 70,00, com a finalidade única e específica de obter seus votos”. Tais compras de votos, segundo a decisão do juiz, foi com o “conhecimento ou anuência dos candidatos beneficiários com a prática do ato”.

A prefeita Juliana alegou no processo que desconhecia essa compra de votos e que não autorizaram nem determinaram a prática do ato ilícito apurado nos autos. O juiz não considerou válida essa argumentação por entender que os acusados de captar os sufrágios, André Massuda Vedovato, filho do então prefeito Neder Afonso Vedovato, e o candidato a vereador na época Gilmar Vieira Dias, eram ligados politicamente a ela.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 23 de Setembro de 2017
Sexta, 22 de Setembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)