Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

19/07/2008 09:16

Preço da terra em Mato Grosso mantém tendência de alta

24horasnews/Invertia

O preço médio da terra no Brasil manteve a tendência de alta, na esteira dos melhores preços da soja, e fechou o bimestre maio/junho em um novo recorde nominal de R$ 4.287 por hectare, contra R$ 4.135 no segundo bimestre do ano, informou nesta sexta-feira levantamento da AgraFNP, consultoria especializada em agronegócio.

Na comparação com a mesma época do ano passado, a AgraFNP detectou uma elevação nominal nos preços de 17%, impulsionada também pela maior procura de investidores, especialmente de estrangeiros, que têm cada vez mais feito aquisições no setor.

"Além da correção do preço se dar pelo aumento no valor da saca da soja, os donos das terras estão começando a pedir um número maior de sacas por hectare, justamente pela pressão da demanda mesmo", disse a analista da FNP, Jacqueline Bierhals, em entrevista.

O valor da terra é determinado de acordo com o preço da soja, mas os proprietários têm especulado devido à procura maior.

Considerando a inflação no período, de 14,29% segundo o Índice Geral de Preços (IGP-DI), o ganho real no valor da terra é de quase 3%, acrescentou a analista.

Se em termos nominais o indicador da consultoria tem apontado recordes seguidos, em termos reais o preço está se aproximando do pico registrado no segundo bimestre de 2004, a R$ 4.306 por hectare, quando a soja estava valorizada no mercado internacional e também o câmbio mais vantajoso às exportações permitiu um preço da saca como se nunca viu no País.

Um exemplo dessa relação de preços entre terras e commodities agrícolas pode ser verificada no índice do Cepea/Esalq, base Paraná. Pelo indicador, a soja ainda não bateu o recorde de R$ 55,30 por saca (60 kg) de março de 2004, mas está em um valor bem próximo da maior marca nominal - na quinta-feira, fechou cotado a R$ 51,42 por saca.

Estrangeiros

Segundo a consultoria, o mercado está mais aquecido no Cerrado, em Mato Grosso, e também nos Estados de Maranhão, Piauí, além do oeste da Bahia, novas fronteiras agrícolas, muito em função da demanda dos investidores estrangeiros.

Em algumas regiões do Centro-Oeste, a valorização das terras em 12 meses chega a 225%, segundo a AgraFNP.

De acordo com a analista, os investidores estrangeiros continuam adquirindo propriedades no País, especialmente em parceria com empresas brasileiras - até porque, pela lei, esses investidores de fora do País só podem comprar 25% da área em um município.

Para Jacqueline, o mercado de terras nas áreas da Amazônia Legal, no entanto, "segue parado", por conta do cerco do governo e de ambientalistas.

Mas os maiores preços são registrados em regiões já com grande concentração agrícola, onde a oferta de áreas é menor.

"Está mudando o patamar histórico na região de Cascavel (PR), os preços médios giram em torno de 1.100 sacas (de soja) por alqueire (2,42 hectares). Agora há um grande número de negócios a 1.500 sacas por alqueire, e quanto mais escassas as áreas vão ficando, mais espaço o dono da terra tem para aumentar os preços", disse a analista, explicando que nessas regiões, onde o comércio de terra envolve um número menor de hectares, o preço tende a ficar mais alto.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)