Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

01/12/2005 19:40

Preço da cesta básica sobe nas 16 capitais pesquisadas

Melina Fernandes/ABr

Pela primeira vez desde maio, a cesta básica passou a custar mais caro para os consumidores das 16 capitais brasileiras pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O resultado divulgado hoje (1°) aponta a batata e o tomate como os produtos responsáveis pela maior parte do aumento.

A alta no preço da carne bovina, produto de maior peso na cesta, foi atribuída pelo Dieese à descoberta de focos de febre aftosa no rebanho brasileiro. Mas ficaram mais baratos o óleo de soja, o feijão, o arroz e o pão.

Segundo José Maurício Soares, técnico e economista do Dieese, na comparação com os anos anteriores, houve uma "boa melhora" no preço da cesta básica para os trabalhadores. Ele disse que a previsão é de estabilidade nos preços em dezembro, até porque "o tomate e a batata não têm mais por que subir".

São Paulo foi a cidade que registrou o maior valor da cesta básica (R$ 184,67), com aumento pelo segundo mês consecutivo. O trabalhador paulistano que ganha salário mínimo teve de cumprir, em novembro, uma jornada de 135 horas e 25 minutos para adquirir os alimentos básicos. Em outubro eram necessárias 128 horas e 10 minutos, mas em novembro de 2004, a jornada correspondia a 144 horas e 45 minutos.

A compra da cesta básica em novembro exigiu 66,66% do rendimento líquido de quem ganha o mínimo, contra 63,08% em outubro e 71,24% em novembro de 2004. Pelos cálculos do Dieese, para atender ao definido pelo decreto lei que criou o salário mínimo em 1938, ele deveria ser de R$ 1.551,41 hoje, para o paulistano, contra o valor de R$ 1.468,24 em outubro.

O levantamento do Dieese aponta ainda que as maiores altas no mês foram em Belo Horizonte (9,32%), Vitória (8,28%) e Salvador (8,20%). E as menores, em Fortaleza (0,30%) e Belém (2,40%). Apenas em Goiânia o preço da cesta básica registrou uma variação acumulada negativa entre janeiro e novembro deste ano (-2,67%). O maior acréscimo acumulado ocorreu em Recife (14,88%).

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
09:09
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)