Cassilândia, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

Últimas Notícias

01/12/2005 19:40

Preço da cesta básica sobe nas 16 capitais pesquisadas

Melina Fernandes/ABr

Pela primeira vez desde maio, a cesta básica passou a custar mais caro para os consumidores das 16 capitais brasileiras pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O resultado divulgado hoje (1°) aponta a batata e o tomate como os produtos responsáveis pela maior parte do aumento.

A alta no preço da carne bovina, produto de maior peso na cesta, foi atribuída pelo Dieese à descoberta de focos de febre aftosa no rebanho brasileiro. Mas ficaram mais baratos o óleo de soja, o feijão, o arroz e o pão.

Segundo José Maurício Soares, técnico e economista do Dieese, na comparação com os anos anteriores, houve uma "boa melhora" no preço da cesta básica para os trabalhadores. Ele disse que a previsão é de estabilidade nos preços em dezembro, até porque "o tomate e a batata não têm mais por que subir".

São Paulo foi a cidade que registrou o maior valor da cesta básica (R$ 184,67), com aumento pelo segundo mês consecutivo. O trabalhador paulistano que ganha salário mínimo teve de cumprir, em novembro, uma jornada de 135 horas e 25 minutos para adquirir os alimentos básicos. Em outubro eram necessárias 128 horas e 10 minutos, mas em novembro de 2004, a jornada correspondia a 144 horas e 45 minutos.

A compra da cesta básica em novembro exigiu 66,66% do rendimento líquido de quem ganha o mínimo, contra 63,08% em outubro e 71,24% em novembro de 2004. Pelos cálculos do Dieese, para atender ao definido pelo decreto lei que criou o salário mínimo em 1938, ele deveria ser de R$ 1.551,41 hoje, para o paulistano, contra o valor de R$ 1.468,24 em outubro.

O levantamento do Dieese aponta ainda que as maiores altas no mês foram em Belo Horizonte (9,32%), Vitória (8,28%) e Salvador (8,20%). E as menores, em Fortaleza (0,30%) e Belém (2,40%). Apenas em Goiânia o preço da cesta básica registrou uma variação acumulada negativa entre janeiro e novembro deste ano (-2,67%). O maior acréscimo acumulado ocorreu em Recife (14,88%).

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 21 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)