Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

24/09/2007 10:50

Pragas de solo no Brasil abrem a X Reunião Pragas

Dalízia Aguiar/Embrapa

Especialistas de várias instituições abrirão a programação técnico-científica da X Reunião Sul-Brasileira sobre Pragas de Solo, PragasSolo-Sul, que começa dia 25, em Dourados, com relatos da situação de pragas de solo nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul.


No auditório da Embrapa Agropecuária Oeste, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, pesquisadores da EMBRAPA, ESALQ/USP, IAPAR e EPAGRI vão apresentar um diagnóstico das principais pragas de solo que atacam as culturas da região nos últimos dois anos, desenhando um panorama sobre o assunto.


No Rio Grande do Sul, as pragas prejudicam, principalmente, as culturas do arroz irrigado, do fumo, do milho, da soja e do trigo. O pesquisador da Embrapa Trigo, José Roberto Salvadori, relatará os danos causados por bicheira-da-raiz, broca-do-colo e pulgão-da-raiz em arroz; broca-do-fumo e lagartas, no fumo; broca-da-coroa, corós, lesmas, lagartas e vaquinha, no milho; lagarta-elasmo, grilo-marrom, lesmas, piolho-de-cobra e tamanduá, na soja; e corós, no trigo.


Em Santa Catarina, pragas como bicheira-da-raiz, pulgões e moleque-da-bananeira trazem problemas às plantações de arroz irrigado e pomares de bananeiras, macieiras e parreirais. O entomologista da EPAGRI Luís Antônio Chiaradia mostrará como tais insetos podem reduzir a produtividade e a qualidade das frutas. No estado, a expansão de áreas de cultivo em diferentes sistemas de plantio e manejo aliada a fatores endafoclimáticos tem contribuído para o desenvolvimento de pragas de solo.


No estado do Paraná, o pesquisador do IAPAR, Rodolfo Bianco, continuará mostrando que lagarta-elasmo, vaquinha e corós são pragas devastadoras na região trazendo prejuízos para a soja, o milho e o trigo, culturas com maior ocorrência de danos. As lavouras paranaenses de feijão, algodão, café, mandioca, batata, aveia, cevada, triticale e hortaliças também sofrem com o ataque de insetos, mas em escala inferior.


Já em São Paulo, o professor da ESALQ/USP José Maurício Bento explicará que os insetos de solo têm aumentado em função da diversidade de exploração agrícola. Corós, percevejos-castanhos e cigarrinhas-das-raízes desenvolvem-se graças a essa pluralidade. As áreas paulistas para atividades agropecuárias são destinadas, em sua maioria, a pastagem, mata natural, reflorestamento e plantio de cana-de-açúcar.


Por fim, em Mato Grosso do Sul, o técnico da Embrapa Agropecuária Oeste Euclides Maranho, embasado nos resultados de pesquisas de interesse feitas diretamente com a assistência técnica, apresentará algumas pragas que vêm causando estragos às lavouras de soja, algodão, milho, trigo, arroz, feijão, sorgo e cana-de-açúcar e pastagens. Cupim, corós, percevejo-castanho, lagarta-elasmo, lesmas, caracóis, pulgão e broca-da-cana tiveram várias ocorrências nas últimas safras em MS.


A X Reunião Sul-Brasileira sobre Pragas de Solo é promovida e realizada pela Embrapa Agropecuária Oeste com parceria da UEMS, UFGD, UNIGRAN e UNIDERP e tem o apoio da Basf, Bayer CropScience, Dow AgroSciences, Nortox, Syngenta, CREA-MS, Convention Bureau e Visitors da Grande Dourados, CAPES, CNPq e da Sociedade Entomológica do Brasil.




Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)