Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

23/03/2004 16:29

Pouco a comemorar no Dia de Combate à Tuberculose

Paula Medeiros/ABr

Amanhã (24) é o Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose, mas o Brasil não tem muito o que comemorar. O país tem cerca de 50 milhões de pessoas infectadas com o bacilo de Koch, bactéria causadora da doença, mas que não desenvolveram o problema. A cada ano, 119 mil novos casos são registrados. A tuberculose, que tem cura, ainda mata seis mil pessoas por ano no país. Por causa desses dados, o Brasil está em 15º lugar na lista da Organização Mundial de Saúde (OMS), dos países que precisam intensificar as ações de diagnóstico e tratamento da doença.

O ministro da Saúde, Humberto Costa, que participa, na Índia, de um fórum mundial sobre tuberculose, diz que essa colocação do país não é nada confortável. “É uma posição que incomoda, principalmente para o nível de desenvolvimento que o Brasil já atingiu", afirma.

Agora, a meta é reverter a situação e curar 50,5 mil pessoas até 2005. Para isso, o governo vai investir R$ 119 milhões até 2007. As ações do ministério devem buscar melhorar o sistema de informação, o diagnóstico e ampliar o tratamento acompanhado, os maiores problemas. “Precisamos fazer mais do que fazemos”, afirma Humberto Costa.

Hoje no Brasil, 12% das pessoas diagnosticadas com tuberculose, abandonam o tratamento. Para o ministério, esse problema é ainda mais sério porque o portador da doença pode adquirir resistência e, neste caso, a cura demora o dobro do tempo, além de custar muito mais.

Os estados do Rio de Janeiro e do Amazonas são os de maior incidência de tuberculose. No Rio, por exemplo, estima-se 19 mil novos casos em 2004. Segundo Humberto Costa, o problema dessas regiões se dá em função do alto índice de pobreza e porque os serviços de saúde são pouco eficientes. “Não se fez muita coisa”, relata o ministro.

Para a OMS, cinco pontos estratégicos são fundamentais para controlar a tuberculose. O país tem de ter uma política apropriada, diagnosticar os casos rapidamente e com eficácia, ter medicamentos gratuitos e em quantidade suficiente para todos os pacientes, e deve, principalmente, evitar que a população portadora de tuberculose abandone o tratamento.

No caso do Brasil, o consultor Rodolfo Rodrigues, da OMS, recomenda que o país invista ainda mais no tratamento supervisionado. “É um ponto que o Brasil precisa melhorar”, enfatiza.

O ministro da Saúde informa que todos os municípios com alto índice de tuberculose vão receber tratamento especial por parte do governo. Com o investimento, os laboratórios devem ser mais bem estruturados e as equipes treinadas. No caso da população carcerária, com alto número de incidência da doença, o ministro prevê novas equipes de saúde trabalhando nas prisões.

O ministério alerta que pessoas com baixa resistência, que sofrem de alcoolismo, não se alimentam de forma saudável ou que usam drogas estão mais propensas a pegar tuberculose. A doença é transmitida pelo ar. Por isso, é importante procurar o posto de saúde assim que os primeiros sintomas aparecem.

Os principais sintomas são: tosse por mais de 21 dias, com ou sem secreção, febre, principalmente no fim da tarde, perda de peso lenta e progressiva, falta de apetite e de disposição. A melhor forma de evitar a transmissão é descobrir a doença o mais cedo possível e fazer o tratamento correto.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)