Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

02/03/2007 08:06

Português passa a ser segunda língua oficial da Cúpula

STJ

Santa Cruz de la Sierra (Bolívia) – Em março de 2008, o Brasil pela primeira vez será sede da Cúpula Judicial Ibero-Americana, já em sua 14ª edição. A reunião, marcada para as instalações do Superior Tribunal de Justiça, poderá ser um marco na Cumbre, pois, também pela primeira vez, o Português será utilizado como segunda língua oficial de um encontro da Justiça ibero-americana. A primeira é o espanhol. Prova disso é que, desde março do ano passado, quando se definiu o STJ como sede da XIV Cumbre, o Português – restrito a brasileiros e portugueses entre os 23 países que integram a Cúpula – começou a ser estudado pelos demais participantes. Na primeira reunião de trabalho da XIV Cumbre, aberta segunda-feira, em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, inúmeros magistrados e especialistas em administração do Judiciário confirmaram matrícula em cursos intensivos de Português em seus respectivos países. Os mais entusiasmados são os representantes da República Dominicana, sede da última Cumbre.

Diretor da Escola Judicial de Santo Domingo, Luiz Henry Molina iniciou o curso logo após o encerramento da primeira reunião preparatória, realizada em novembro passado, na Isla Margarita, Venezuela, onde o presidente do Superior Tribunal de Justiça e da Secretaria Temporária da Cumbre, ministro Raphael de Barros Monteiro Filho, conduziu exclusivamente em Português os quatro dias do encontro. “Além de importante para a cultura hispânica, o aprendizado da língua portuguesa nos permitirá participar de modo mais intenso da reunião do Brasil, sem a necessidade de buscar ajuda de intérpretes”, salientou Henry Molina, que também é membro do grupo e.Justicia da XIV Cúpula.

Matriculada no curso de Português da Escola Judicial dominicana desde o fim de 2006, Cecília Cuello entende que o conhecimento dos dois idiomas é fundamental para o perfeito entendimento durante os debates entre magistrados, especialistas e técnicos dos países integrantes da Cumbre. Segundo ela, apesar de complicado pelo volume de verbos, o Português é uma língua muito bonita e deveria ser aprendida por todos. “Em março do ano que vem, estarei no Brasil em condição de, pelo menos, entendê-los e de me fazer entender. Está tudo bem”, concluiu Cecília Cuello, ainda com um Português bem arrastado. Cecília é diretora-geral do Supremo Tribunal de Justiça da República Dominicana.

Além deles, integrantes dos grupos da Guatemala, Honduras, Costa Rica e Panamá, entre outros, também começam a ensaiar os primeiros contatos com a língua portuguesa. Outros, pela proximidade com nossas fronteiras, afirmam que, com calma, conseguem entender as mensagens de brasileiros e portugueses. Nesse grupo estão argentinos, bolivianos, colombianos, peruanos, paraguaios e uruguaios.

Um dos maiores defensores da utilização do Português nas reuniões plenárias, preparatórias e de trabalho da Cúpula, o representante de Portugal, juiz Carlos Gonçalves Marinho, elogiou o presidente e os técnicos do STJ pela constante preocupação de não recorrer ao “portunhol” ou mesmo ao espanhol nesses encontros. ”Nossa língua é tão rica e deve ser falada com mais freqüência nas reuniões ibero-americanas. Fico feliz quando vejo os brasileiros fazendo questão de usá-la, como fez o ministro Raphael de Barros Monteiro Filho em Santo Domingo e na Isla Margarita. Por isso, acho que os hispânicos estão corretos quando nos ajudam a consolidar o Português como segundo idioma oficial da Cumbre”, assinalou Marinho.



Autor(a):Armando Cardoso

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)