Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

03/09/2014 10:21

Por gratificação maior, policiais federais prometem fiscalização rigorosa amanhã

Campo Grande News

A mobilização da Polícia Federal não deve prejudicar a segurança nas regiões de fronteira de Mato Grosso do Sul, pelo contrário, segundo o sindicato que organiza o ato no Estado, a fiscalização será mais rígida. Os servidores de diversos setores estarão reunidos para reforçar a fiscalização nos postos de fronteira.

O Sinpef (Sindicato dos Policiais Federais de Mato Grosso do Sul) garante que a fiscalização estará normalizada na sexta-feira (5), quando começa o Black Friday Fronteira, que espera mais de 50 mil pessoas em Ponta Porã (MS) e em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, nas lojas com descontos de até 50%.

O ato pacífico que reivindica a regulamentação e implementação da Indenização de Fronteira, lei que completa um ano hoje (3), mas não entrou em vigor, ocorrerá nesta quinta-feira (4), pela manhã nos postos da Polícia Rodoviária Federal em Ponta Porã e Dourados e durante a tarde no Posto Esdras, em Corumbá, na fronteira com a Bolívia. A mobilização nacional se estende de hoje (3) até amanhã.

De acordo com o Sinpef, 30% do efetivo de servidores será mantido e ocorrerão, normalmente, os serviços essenciais à população, como registro de armas, passaportes, segurança privada e deslocamento de presos por requisição judicial. “A fiscalização não vai ficar prejudica, ao contrário vai ser intensificada porque os servidores estarão nas fronteiras, não paralisados, mas em mobilização”, destacou o presidente do Sinpef, Jorge Caldas.

Segundo Jorge, a categoria espera uma resposta positiva do governo, pois já vem lutando pela indenização de fronteira há um ano, mas promete continuar com os atos de mobilização caso o Governo não atenda a reivindicação. “Esperamos que seja implementada a lei, porque a falta desse benefício causa prejuízo para toda a sociedade, pois o servidor vai para a fronteira e como não tem nenhum incentivo, depois que completa três ou quatro anos, quando já tem boa experiência e conhece toda a região, ele resolve deixar o local. Se necessário vamos recrudescer o movimento para os próximos meses”, disse o presidente da entidade.

Participarão das manifestações agentes, escrivães, papiloscopistas, peritos, policiais rodoviários federais, analistas-tributários e auditores fiscais da Receita Federal, delegados de polícia federal e servidores do Plano Especial de Cargos da Polícia Federal. Conforme Sinpef, todos são responsáveis pelas ações de fiscalização, controle, vigilância e repressão na faixa de fronteira, atuando no combate a crimes como contrabando, descaminho, tráfico de drogas, armas e munições entre outros crimes.

Indenização de Fronteira – Segundo o Sinpef a implementação da lei é essencial para a efetivação do Plano Estratégico de Fronteiras da Presidência da República, que visa ampliar a presença do Estado nessa faixa do território nacional. Com a Indenização de Fronteira, os servidores receberão o valor de R$ 91,00 por dia trabalhado na região de fronteira, proporcional à jornada de trabalho de cada categoria contemplada com o benefício.

A lei diz que o benefício não será cumulativo com diárias e somente será devido ao profissional que trabalhar efetivamente. No caso de licença médica ou outro afastamento do local de lotação o pagamento da indenização de fronteira será suspensa, de acordo com o Sinpef.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)