Cassilândia, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

14/11/2014 15:09

Policia tenta localizar empresas que compraram produtos de empresa clandestina

Campo Grande News

Depois de fechar a fábrica de cosméticos Ecoplus, que funcionava de forma clandestina, a Decon (Delegacia do Consumidor) trabalha agora para localizar quem comprou os produtos vendidos pela empresa.

O delegado Gomides Ferreira informou que as investigações estão em curso ainda e não descartou realizar novas prisões. Permanecem presos o dono da fábrica Éder Lúcio Paes e um funcionário que estavam na empresa, que funcionava em uma casa de luxo no Carandá Bosque, quando a polícia fez o flagrante.

Os dois foram indiciados de acordo com artigo 273 do Código Penal que estabelece que são crimes contra a saúde pública “falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais”. A pena pode variar de 10 a 15 anos de prisão, além de aplicação de multa.

A polícia investigou o caso durante um mês até efetuar as prisões. Policiais da delegacia passaram a monitorar o local após receber uma denuncia de que no imóvel funcionava uma fábrica clandestina.

Na fabrica foram apreendidos tonéis com uma grande quantidade de substâncias químicas para a produção de cremes para alisamento, xampu, sabonetes, entre outros, além de frascos onde os produtos eram envasados. A Ecoplus funcionava sem os laudos técnicos emitidos pela Vigilância Sanitária.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
09:09
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)