Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

19/09/2014 16:45

Polícia prende suspeitas de desviar recursos do Sest/Senat

Agência Brasil

Uma ex-diretora e três integrantes da diretoria do Sistema Social do Transporte (Sest) e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), que fazem parte do Sistema S, foram presas temporariamente hoje (19), na Operação São Cristovão, que apura suposto esquema de desvio de recursos das entidades. A estimativa é que a fraude tenha desviado, entre 2011 e 2012, aproximadamente R$ 20 milhões.

Na operação, a polícia cumpriu 21 mandados de busca e apreensão em Brasília e Minas Gerais. Inicialmente, foi presa Maria Pantoja, diretora executiva do Sest/Senat entre 1995 e 2013 e que hoje trabalha em outra instituição vinculada à Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Também foram detidas Ilmara Chaves, coordenadora de Administração, Anamary Socha, assessora especial da Diretoria Executiva, e Jardel Soares, coordenadora de Contabilidade. Conforme a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), entre 25 e 30 pessoas podem estar envolvidas no esquema. Na operação, foram apreendidos 16 veículos, entre eles alguns carros de luxo, e dois cofres.

De acordo com a Polícia, o desvio de dinheiro ocorreu por meio de pagamentos elevados de gratificações a integrantes da diretoria e de contratações fraudulentas de serviços de autônomos. A Controladoria-Geral da União (CGU) constatou que os rendimentos e patrimônio das integrantes da diretoria do Sest/Senat são incompatíveis com os salários pagos. A justificativa apresentada pela direção da Confederação Nacional dos Transportes é que o elevado valor recebido anualmente pelas diretoras deve-se ao pagamento de gratificações.

A outra forma de desvio são serviços de fachada, contratados por valores superfaturados a pessoas com ligações com as diretoras. Em muitos casos, os serviços sequer foram prestados. O delegado Fábio Santos de Souza citou o caso de um lava jato de Brasília, que teria recebido, em 2012, R$ 2,5 milhões do Sest/Senat.

A Polícia quer ouvir o ex-senador e ex- presidente da Confederação Nacional dos Transportes, Clésio Andrade. Para isso, já foi expedito mandado de condução coercitiva – quando o suspeito é levado a uma delegacia para prestar depoimento e liberado em seguida.

De acordo com o chefe da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Deco), Fábio Santos de Souza, é prematuro afirmar que Clésio Andrade participou do esquema e recebeu dinheiro. Entretanto, salientou que há indícios de que Andrade tenha apresentado documento fraudulento para explicar pagamentos de gratificações em dinheiro para as diretoras presas. “Ele será investigado justamente por esse documento fraudado, por meio do qual busca justificar o pagamento dessas gratificações com valores entre R$ 300 mil e R$ 400 mil”, ressaltou o delegado.

A operação é resultado de investigações da Deco e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, com colaboração da CGU.

O Sest/Senat oferece atividades aos trabalhadores do setor de transportes, com recursos recolhidos, obrigatoriamente, de empresas de transportes rodoviário e de valores, locadoras de veículos e de distribuição de petróleo. A Agência Brasil tentou contato com a CNT e com o Sest/Senat, mas não obteve resposta.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)