Cassilândia, Sábado, 07 de Dezembro de 2019

Últimas Notícias

27/11/2019 14:30

Polícia para velório para examinar corpo de homem que morreu em hospital

Campo Grande News

 

Policiais civis interromperam o velório de um homem na noite de ontem (26) em Dourados, a 233 km de Campo Grande, e levaram o corpo para ser examinado pelo médico legista no IML (Instituto Médico Legal). Horas depois, o corpo foi devolvido à família para a continuidade do velório e foi sepultado no início desta tarde no Cemitério Bom Jesus.

Marcel Cabreira Faustino, 33, morreu na madrugada de ontem após ficar um mês internado no Hospital da Vida. Ele tinha sido diagnosticado com um tumor benigno no crânio e morreu de infecção generalizada, segundo o hospital.

A interrupção do velório ocorreu depois da família registrar boletim de ocorrência na Polícia Civil denunciando suspeita de omissão de socorro e falsidade ideológica por falsificação de documento público (laudo sobre a causa da morte). O caso foi registrado como “morte a esclarecer”.

Ontem, o Campo Grande News divulgou em primeira mão que a mãe de Marcel, Elizabeth Cabreira Clementino Faustino, tinha procurado o promotor de Justiça Eteocles Brito Mendonça Dias Junior e denunciado omissão, negligência e erro médico como causa da morte do filho.

Nesta quarta, Elizabeth disse à reportagem que decidiu registrar o boletim de ocorrência para que o corpo do filho passasse por necropsia antes de ser sepultado. Ela responsabiliza o hospital e médicos da unidade pela morte.

À polícia, Elizabeth disse que o tumor no crânio de Marcel foi diagnosticado em agosto deste ano e que depois disso ficou internado por várias vezes no Hospital da Vida. A última internação ocorreu no dia 26 de outubro. Ontem, exatamente um mês depois, ele morreu durante parada respiratória.

No boletim de ocorrência, Elizabeth citou a declaração de um dos médicos, de que o serviço de neurocirurgia do Hospital da Vida tem como atribuição atendimento de casos de urgência e emergência neurocirúrgica e que tumor cerebral “com aspecto benigno” que não necessitava de tratamento de urgência.

Ela acusa o hospital de não pedir a transferência de Marcel para o HU (Hospital Universitário) e de se negar a fornecer documento para a remoção dele a um hospital de Arapongas (PR), onde conseguiu, por conta própria, uma vaga para o filho.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 07 de Dezembro de 2019
10:00
Receita do Dia
09:00
Santo do Dia
Sexta, 06 de Dezembro de 2019
09:00
Santo do Dia
Quinta, 05 de Dezembro de 2019
16:00
Direitos da pessoa com deficiência
10:00
Receita do Dia
09:00
Santo do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)