Cassilândia, Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2019

Últimas Notícias

07/12/2018 14:00

Polícia investiga se problema anterior a agressão provocou morte de aluna

Campo Grande News

A Polícia Civil investiga se um problema anterior provocou a morte da menina Gabrielly Ximenes de Souza, de 10 anos, que morreu nesta quinta-feira (6), uma semana depois de ser agredida por colegas perto da escola Lino Villachá, no Bairro Nova Lima, em Campo Grande. Depois de ouvir uma criança de 9 anos, que afirmou ter agido sozinha e dado "3 mochiladas" na colega, a delegada responsável pelo caso, Fernanda Félix, disse que "é impossível" que isso tenha causado a morte.

Gabrielly morreu em decorrência de quatro paradas cardiorrespiratórias, depois de passar por um procedimento cirúrgico no quadril. A polícia quer saber, agora, se havia alguma doença pré-existente. A família nega e diz que a menina era saudável.

De acordo com a delegada, a partir do depoimento da menina de 9 anos, a conclusão é que outras duas adolescentes, de 13 anos, citadas como participantes da briga, sequer encostaram na criança. "Apenas presenciaram o fato", reforçou a delegada por mais de uma vez. Segundo a policial, as meninas estariam com medo e recebendo ameaças.

A investigação está a cargo da Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude). Conforme a delegada, Gabrielly não tinha nenhuma lesão ou marca aparente no corpo que indicasse espancamento. Além da garota de nove anos, outras testemunhas, como comerciantes, vendedores ambulantes e as adolescentes foram ouvidas e afirmaram que a briga foi só entre as duas crianças.

Como começou - A menina mais nova, acompanhada pela família, relatou, segundo a delegada que, a briga começou na escola. Uma xingou a mãe da outra. Quando acabou a aula, as duas seguiam pela a rua quando se desentenderam novamente e uma puxou o cabelo da outra.

A colega, então, usou a mochila para agredir a vítima. Foram três golpes, de acordo com o relato da criança e das testemunhas. Por isso, a polícia não acredita que os golpes tenham causado a morte da menina. “Tinha apenas cadernos na mochila”, diz Fernanda Félix.

Segundo a delegada, há relatos de que o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) já havia ido outras vezes atender Gabrielly na escola. O pai, porém, alega que a menina era saudável não tinha problema de saúde. “Depois que a menina recebeu alta médica, ela foi para a escola, para a igreja e só depois passou a reclamar de dores”, diz Fernanda.

A reportagem também apurou que a equipe médica relatou que a infecção apresentada no quadril da garota tinha um estágio muito avançado, o que provocou estranheza. Ontem, a Santa Casa informou que a menina morta havia dado entrada dia 29, levada pelo Samu, ficado em observação por 12 horas e sido liberada, andando normalmente. No dia 4, ela retornou, com dores no quadril e febre. Passou por procedimento cirúrgico e, no dia 6, morreu devido a paradas cardiorrespiratórias.

Por envolver adolescentes e crianças, os nomes das agressoras são preservados por imposição do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). Além dos depoimentos já colhidos, das informações do hospital, os laudos periciais vão indicar a causa da morte da garota.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 20 de Fevereiro de 2019
06:38
Cassilândia
Terça, 19 de Fevereiro de 2019
13:07
Cassilândia
10:00
Receita do dia
09:00
Santo do dia
Segunda, 18 de Fevereiro de 2019
10:20
O maior sanfoneiro do Brasil
10:00
Receita do dia
09:00
Santo do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)