Cassilândia, Sexta-feira, 23 de Junho de 2017

Últimas Notícias

06/06/2017 15:00

Polícia Federal desarticula quadrilha que fraudava benefícios do INSS

Agência Brasil

 

Uma organização criminosa que fraudava benefícios previdenciários foi desarticulada hoje (6), em Goiás, pela Operação Oruza, da Polícia Federal (PF). A quadrilha adulterava a documentação com declarações falsas emitidas por fazendeiros e sindicatos dos trabalhadores rurais.

As investigações começaram há cerca de dois anos a partir da identificação de fraudes em concessões de benefícios rurais para o pagamento de pensão por morte com recebimento dos valores retroativos. Estão sendo investigados oito sindicatos, cinco advogados, três servidores do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), agenciadores, proprietários rurais, beneficiários e representantes legais.

“Chamou atenção dos investigadores o aumento de até dez vezes nos valores dos requerimentos para benefícios de pensão por morte com pagamentos retroativos nas cidades-alvo. As três agências investigadas teriam pago um montante de R$ 25 milhões em benefícios”, diz em nota PF.

Documentos falsificados

A investigação apurou ainda que a maioria das concessões estava centrada em um único servidor, que teria utilizado documentos falsificados, inclusive, certidões de nascimento e de óbito de pessoas inexistentes.

Cerca de 160 policiais federais estão cumprindo 113 mandados expedidos pela Justiça Federal de Uruaçu, município de Goiás, sendo 11 mandados de prisão preventiva, 26 de busca e apreensão e 76 de condução coercitiva, nas cidades de Niquelândia, Padre Bernardo, Vila Propicio, Porangatu, Trombas, Montividiu do Norte, Mutunópolis, Colinas do Sul, Formoso, também em Goiás, e em Brasília, no Distrito Federal.

De acordo com a PF, as fraudes causaram prejuízos de aproximadamente R$ 5 milhões aos cofres da Previdência Social, considerando 67 benefícios analisados (atualizados até maio de 2016). A polícia estima que o prejuízo evitado é de R$ 10 milhões, considerando a expectativa de sobrevida das pessoas de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a maioridade.

O nome da operação, Oruza, é de origem grega e está relacionado à cultura do arroz, visto que os requerimentos de benefícios previdenciários indicavam essa atividade.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 23 de Junho de 2017
Quinta, 22 de Junho de 2017
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)