Cassilândia, Quarta-feira, 29 de Março de 2017

Últimas Notícias

09/08/2011 17:56

Polícia Federal aprende R$ 610 mil em dinheiro no Ibrasi

Daniella Jinkings, Agência Brasil

Brasília – A Polícia Federal (PF) apreendeu R$ 610 mil em espécie na sede do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi), em São Paulo. Hoje (9), pela manhã, a PF deflagrou a Operação Voucher, que investiga o desvio de recursos públicos destinados ao Ministério do Turismo, por meio de emendas parlamentares.

De acordo com o delegado Paulo de Tarso Teixeira, a investigação começou em abril, depois de um levantamento do Tribunal de Contas da União (TCU) encontrar irregularidades no contrato firmado entre o Ministério do Turismo e o Ibrasi. “O dinheiro era repassado ao Ibrasi. Havia fraude de licitações e a participação de várias empresas, algumas fictícias [que integram o esquema criminoso]”.

O convênio, no valor de R$ 4,4 milhões foi assinado em dezembro de 2009 e tem vigência até o dia 24 de setembro de 2011. Teixeira estima que dois terços dos recursos foram desviados pela quadrilha.

A operação contou com a participação de 200 policiais federais. Foram expedidos 38 pedidos de prisão, sendo 19 preventivas e 19 temporárias, e sete pedidos de busca e apreensão no Amapá, em São Paulo e no Distrito Federal.

Segundo Teixeira, até o momento, 33 pessoas foram presas, seis são funcionários públicos. Eles estão sendo investigados por fraude à licitação, estelionato qualificado, falsidade, peculato e formação de quadrilha.

As 19 pessoas presas preventivamente pela Polícia Federal serão levadas para a Superintendência da Polícia Federal de Macapá, onde serão interrogadas. Entre elas estão o secretário nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, Colbert Martins e o ex-presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Mário Moyses.

“A investigação está tramitando em segredo de Justiça. A operação foi voltada para reprimir o desvio de verbas públicas e a prática de corrupção. É um trabalho feito em conjunto com o Ministério Público Federal e o Tribunal de Contas da União”, disse o delegado.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 29 de Março de 2017
Terça, 28 de Março de 2017
21:41
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)