Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

29/05/2008 14:44

Polícia diz que lei não impede investigar deputado

Apesar de deputados estaduais questionarem o fato de Ari Artuzi (PDT) ser colocado como “suspeito” de ter simulado atentado contra ele próprio, a Polícia Civil garante que a condição de parlamentar não impede que ele seja investigado.

Segundo o delegado responsável pela área de comunicação da Polícia Civil, Jéferson Nereu Lupe, a Constituição de Mato Grosso do Sul determina apenas que após o fechamento do inquérito, para processar um deputado estadual, é que será necessária autorização da Assembléia Legislativa.

“Estamos na fase de investigação, só depois de encerrar o inquérito e apresentar o resultado à Justiça é que, se houver provas contra o deputado, será preciso solicitar autorização para processá-lo”, reforça.

O delegado tenta minimizar a polêmica que começou na noite da última segunda-feira, quando Ari Artuzi diz ter sido alvo de disparos em uma estrada vicinal na região de Dourados.

“A Polícia fez exame residuográfico nas mãos da pessoa que dirigia o carro do deputado, mas isso pode ser até uma prova favorável ao Artuzi, pode descartar a possibilidade de uma fraude”, comenta Lupe.

O exame citado por ele, foi aplicado no ex-vereador Jorginho Dauzacker, que conduzia o veículo Gol, atingido por projéteis na noite do dia 26, e em um primo dele, que segundo denúncia anônima teria feito os disparos a pedido do deputado.

Os laudos sobre a cena do crime, sobre a existência de resquícios de pólvora na mão dos dois envolvidos e em relação ao carro e a dinâmica dos projéteis, devem sair no máximo em 30 dias, informa o delegado.

“Por causa da repercussão, a equipe de Dourados deve pedir os laudos em regime de urgência”, admitiu Jéferson Nereu Lupe.

Sobre a suspeita de crime forjado, um dos laudos pode ser esclarecedor. A dinâmica dos projéteis (pontos de impacto no carro, entrada e saída, e o trajeto percorrido pelas balas), deve apontar se havia ou não intenção dos atiradores de matar Ari Artuzi ou o ex-vereador Dauzacker.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)