Cassilândia, Domingo, 27 de Maio de 2018

Últimas Notícias

29/05/2008 14:44

Polícia diz que lei não impede investigar deputado

Apesar de deputados estaduais questionarem o fato de Ari Artuzi (PDT) ser colocado como “suspeito” de ter simulado atentado contra ele próprio, a Polícia Civil garante que a condição de parlamentar não impede que ele seja investigado.

Segundo o delegado responsável pela área de comunicação da Polícia Civil, Jéferson Nereu Lupe, a Constituição de Mato Grosso do Sul determina apenas que após o fechamento do inquérito, para processar um deputado estadual, é que será necessária autorização da Assembléia Legislativa.

“Estamos na fase de investigação, só depois de encerrar o inquérito e apresentar o resultado à Justiça é que, se houver provas contra o deputado, será preciso solicitar autorização para processá-lo”, reforça.

O delegado tenta minimizar a polêmica que começou na noite da última segunda-feira, quando Ari Artuzi diz ter sido alvo de disparos em uma estrada vicinal na região de Dourados.

“A Polícia fez exame residuográfico nas mãos da pessoa que dirigia o carro do deputado, mas isso pode ser até uma prova favorável ao Artuzi, pode descartar a possibilidade de uma fraude”, comenta Lupe.

O exame citado por ele, foi aplicado no ex-vereador Jorginho Dauzacker, que conduzia o veículo Gol, atingido por projéteis na noite do dia 26, e em um primo dele, que segundo denúncia anônima teria feito os disparos a pedido do deputado.

Os laudos sobre a cena do crime, sobre a existência de resquícios de pólvora na mão dos dois envolvidos e em relação ao carro e a dinâmica dos projéteis, devem sair no máximo em 30 dias, informa o delegado.

“Por causa da repercussão, a equipe de Dourados deve pedir os laudos em regime de urgência”, admitiu Jéferson Nereu Lupe.

Sobre a suspeita de crime forjado, um dos laudos pode ser esclarecedor. A dinâmica dos projéteis (pontos de impacto no carro, entrada e saída, e o trajeto percorrido pelas balas), deve apontar se havia ou não intenção dos atiradores de matar Ari Artuzi ou o ex-vereador Dauzacker.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 27 de Maio de 2018
Sábado, 26 de Maio de 2018
14:57
Cassilândia
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)