Cassilândia, Quarta-feira, 16 de Janeiro de 2019

Últimas Notícias

16/01/2018 17:32

Polícia conclui investigação e estudante responderá por omissão de socorro

G1 MS
Acidente causou a morte da advogada Carolina Albuquerque, de 24 anos (Foto: G1MS)Acidente causou a morte da advogada Carolina Albuquerque, de 24 anos (Foto: G1MS)

A Polícia concluiu a investigação sobre a suposta fuga do estudante de medicina João Pedro Miranda da Silva Jorge, de 23 anos, em Campo Grande. Além de se envolver no acidente que causou a morte da advogada Carolina Albuquerque, de 24 anos, ele também conduzia a caminhonete quando colidiu em um carro, fato que ocorreu há exatamente 1 ano. O jovem foi indiciado por omissão de socorro, enquanto o pai pode responder por fraude processual, ainda conforme a polícia.

"Nós concluímos o TCO e encaminhamos ao juizado. As testemunhas ouvidas confirmaram que o estudante é quem dirigia e saiu do local do acidente. Com relação ao pai dele, a documentação do seguro ainda não chegou na delegacia, porém a informação é que a esposa é quem acionou. Algumas buscas ainda serão realizadas e o pai do jovem intimado para depoimento. O estudante já foi indiciado por omissão de socorro", afirmou ao G1 a delegada Christiane Grossi, responsável pelas investigações.

Entenda o caso
Durante o interrogatório no caso do acidente da avenida Afonso Pena, em que a advogada morreu e o filho dela ficou ferido, a polícia o questionou sobre uma batida anterior, ocorrida no dia 21 de janeiro, no cruzamento da avenida Euler de Azevedo com a Tamandaré. Na ocasião, ele afirmou ao delegado plantonista, Enilton Zalla, que "não teve culpa e o acidente resultou somente em danos materiais".

Em seguida, a investigação obteve a informação de que o estudante fugiu do local deste acidente e o seu pai poderia ter assumido a direção em seu lugar. As informações foram confirmadas por meio de um boletim de ocorrência, registrado como evasão, pelas vítimas. A autoria, porém, foi registrada em nome de um funcionário público de 63 anos, que seria pai do suspeito.

Outro agravante é que, no caso da batida na avenida Afonso Pena, uma testemunha contou à polícia que viu o momento em que o jovem disse: "Eu vou embora, pois, não posso me envolver em acidente de novo”, comentou o delegado na época.

Se os fatos confirmarem, a investigação acredita ser este um “agravante gravíssimo” para o estudante. “Realmente pode ser algo que o comprometa bastante na Justiça. Temos o documento do boletim de trânsito. Se o fato se confirmar, o suspeito será indiciado por mais este crime”, ressaltou Zalla na ocasião.

Em seguida, a investigação obteve a informação de que o estudante fugiu do local deste acidente e o seu pai poderia ter assumido a direção em seu lugar. As informações foram confirmadas por meio de um boletim de ocorrência, registrado como evasão, pelas vítimas. A autoria, porém, foi registrada em nome de um funcionário público de 63 anos, que seria pai do suspeito.

Outro agravante é que, no caso da batida na avenida Afonso Pena, uma testemunha contou à polícia que viu o momento em que o jovem disse: "Eu vou embora, pois, não posso me envolver em acidente de novo”, comentou o delegado na época.

Se os fatos confirmarem, a investigação acredita ser este um “agravante gravíssimo” para o estudante. “Realmente pode ser algo que o comprometa bastante na Justiça. Temos o documento do boletim de trânsito. Se o fato se confirmar, o suspeito será indiciado por mais este crime”, ressaltou Zalla na ocasião.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 16 de Janeiro de 2019
Terça, 15 de Janeiro de 2019
15:53
Cassilândia
09:00
Santo do dia
Segunda, 14 de Janeiro de 2019
09:00
Santo do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)