Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

08/05/2013 07:14

Poder Judiciário irá desativar comarcas do interior

TJMS

A data ainda não está confirmada, mas o Poder Judiciário de MS deve desativar algumas comarcas do interior. A iniciativa justifica-se pela necessidade de estar em consonância com as diretrizes do Conselho Nacional de Justiça para fins de adequação à Lei de Responsabilidade Fiscal.

Na prática, a administração do Tribunal de Justiça considerou que não é razoável que em algumas comarcas juízes e servidores estejam sobrecarregados de trabalho, em razão da excessiva distribuição de feitos, enquanto outros atuam em localidades com inexpressiva quantidade, não se justificando manter instaladas tais comarcas.

Para adoção da medida, considerou-se a necessidade de recursos para reposição de servidores e juízes nas comarcas onde a demanda torna-se insuportável. Além disso, a Constituição Federal prevê como competência privativa dos Tribunais de Justiça dispor sobre o funcionamento dos órgãos jurisdicionais, deliberando sobre a instalação e a desinstalação de comarcas, que devem ocorrer respeitando-se a conveniência e a oportunidade da administração.

Dados do TJMS apontam que somente na Capital existem três cargos vagos de juiz, 12 não preenchidos e 10 disponíveis para juiz substituto, além do déficit de 185 servidores. É possível citar também comarcas como Dourados, onde seriam necessários quatro juízes substitutos, ou ainda comarcas de segunda entrância, atualmente com oito cargos não preenchidos, e comarcas de primeira, cujo número vacante se iguala ao de segunda.

E mais: recente pesquisa do Departamento de Política Judiciária do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) demonstra que a distância e os custos de deslocamento até a sede da comarca, usados como justificativa para criação de novas unidades jurisdicionais, podem ser contornados com o uso da tecnologia.

Assim, com a anuência dos componentes do Tribunal Pleno, a administração deve desativar as comarcas de Angélica, Dois Irmãos do Buriti e Deodápolis. A primeira fica a apenas 22 km da comarca de Ivinhema; a segunda, a 66 km de Aquidauana, e a terceira a 18 km de Glóri de Dourados.

Levantamento cuidadoso sobre a comarca de Angélica mostra que em 2012 a distribuição de feitos atingiu a média mensal de 36 no juizado especial e 87 na vara única, com arrecadação anual de R$ 226.766,04 e custo de R$ 1.384.549,09.

Em Dois Irmãos do Buriti a baixa distribuição de feitos se repete. Em 2012, a média figurou em 23 processos no juizado especial e 94 na vara única, com arrecadação anual de R$65.462,83 e custo de R$ 1.336.929,44 e um agravante: no que se refere a Dois Irmãos do Buriti existem ainda os processos de execução penal que tramitam em Campo Grande.

No caso de Deodápolis, a média de feitos foi de 40 nos juizados especiais e 84 na vara única, com arrecadação anual de R$ 225.807,21 e custo de R$ 1.852.478,25. Considerados os fatores acima citados, não há como justificar a manutenção de comarcas como Angélica, Dois Irmãos do Buriti e Deodápolis, sendo necessário sua imediata desinstalação.

Desta forma, os processos que tramitam em Angélica serão redistribuídos para Ivinhema e os de Dois Irmãos para Aquidauana. No interesse da Administração Pública, os servidores serão removidos para as comarcas mais próximas, Ivinhema e Aquidauana, ou outras comarcas do Estado que convierem.

Novas medidas – A se considerar os valores recebidos do governo do Estado como duodécimo, o limite prudencial da LRF, o aumento crescente da demanda judicial – o que exige mais servidores e juízes para uma prestação jurisdicional a altura da justiça sul-mato-grossense, outras medidas serão adotadas.

Estudos já estão sendo feitos para, em um segundo momento, a desativação das comarcas de Itaporã, Bataiporã e Anastácio e, para restruturação de outras como Mundo Novo, Bela Vista e São Gabriel do Oeste, hoje de segunda entrância e que voltariam a ser comarcas de vara única.

Nesta terça-feira (7), o presidente do Tribunal de Justiça, Des. Joenildo de Sousa Chaves, recebeu autoridades durante toda a tarde para tratar do assunto. Estiveram no gabinete da presidência os deputados estaduais Dione Hashioka, Jerson Domingos, Zé Teixeira, Junior Mochi e Cabo Almi, além dos prefeitos de Deodápolis, Maria Viana; de Rio Negro, Gilson Romano; de Corguinho, Dalton de Souza Lima; de Rochedo, João Cordeiro; de Angélica, Luiz Antonio Milhorança, e de Itaporã, Wallas Milfont, acompanhados de vereadores e presidentes de Câmaras de Vereadores e representantes da OAB/MS.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)