Cassilândia, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

04/02/2004 08:40

Plenário aprova MPs e libera a pauta

Agência Câmara

Um acordo entre as lideranças partidárias do Governo e da Oposição garantiu a aprovação, nesta terça-feira, das duas medidas provisórias que passariam a trancar a pauta do Plenário a partir desta semana. Com a decisão, a pauta fica liberada para a votação dos projetos da Biossegurança e das Parcerias Público-Privadas, que integram a lista de prioridades da convocação extraordinária.
A primeira MP (139/03) cria o Programa de Complementação ao Atendimento Educacional Especializado às Pessoas Portadoras de Deficiência (Paed) no âmbito do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). A segunda (MP 140/03) institui o Programa Nacional de Financiamento da Ampliação e Modernização da Frota Pesqueira Nacional (Profrota Pesqueira).

ATENDIMENTO ESPECIAL
O principal objetivo do Paed é universalizar o atendimento especializado de alunos portadores de deficiências, cuja situação não permita a integração em classes comuns de ensino regular. Para as crianças que tenham condições de integração, o programa garantirá sua inserção nas classes comuns de ensino regular.
Ao apresentar projeto de lei de conversão à MP, a relatora Marinha Raupp (PMDB-RO) lembrou que as entidades privadas sem fins lucrativos “já vêm prestando relevante contribuição ao resgate da cidadania desses indivíduos” e afirmou que “a medida provisória propõe maior envolvimento do Poder Público no atendimento a essa demanda social”.
Os principais pontos do Paed, nos termos aprovados pelo Plenário, são os seguintes:
1 - o programa funcionará com o repasse direto de recursos da União a entidades privadas sem fins lucrativos que prestem serviços gratuitos de educação especial;
2 - estados, Distrito Federal e municípios poderão ceder professores e profissionais especializados da rede pública de ensino, além de material didático e pedagógico apropriado a essas entidades; oferecer transporte aos estudantes; e repassar recursos para construções, reformas, ampliações e aquisição de equipamentos;
3 - o Conselho Deliberativo do FNDE definirá os critérios de alocação dos recursos, segundo apuração do censo escolar realizado pelo Ministério da Educação no ano anterior;
4 - o Paed contará com recursos do FNDE, de doações e de outras fontes; e
5 - o FNDE é autorizado a suspender o repasse dos recursos do Paed à unidade executora que não apresentar a prestação de contas, tiver essa prestação rejeitada ou usar os recursos em desacordo com os critérios do programa.

MODERNIZAÇÃO DA FROTA
O Programa Nacional de Financiamento da Ampliação e Modernização da Frota Pesqueira Nacional (Profrota Pesqueira), criado pela MP 140/03, contará em 2004 com recursos de R$ 15 milhões provenientes do Fundo da Marinha Mercante (FMM) e dos Fundos Constitucionais de Financiamento do Nordeste e do Norte. O dinheiro será usado na construção e modernização de embarcações que realizem pesca tanto na zona costeira quanto em águas internacionais.
O relator da MP, deputado Roberto Freire (PPS-PE), introduziu emenda no projeto de lei de conversão que permitirá a aquisição de embarcações usadas com até cinco anos de construção - o projeto do Governo previa apenas compra de barcos novos. Outra alteração do relator permitiu desconto de até 50% dos juros para quem pagar o financiamento em dia - a proposta original não previa percentuais de bônus.
Segundo Freire, a aprovação da matéria “será um passo de grande importância para tratar a indústria da pesca como atividade econômica, pois a frota pesqueira nacional, principalmente a artesanal, não recebe inovações há mais de 25 anos”.
As metas do programa são as seguintes:
1 - construção de até cem embarcações destinadas à pesca;
2 - aquisição no Brasil de até 30 embarcações, construídas há no máximo 5 anos, destinadas à pesca oceânica;
3 – conversão de até 240 embarcações da frota costeira que pesca espécies ameaçadas de esgotamento, sendo 70 destinadas à pesca oceânica e 170 a pescarias em expansão; e
4 - construção de até 150 embarcações de médio e grande porte para a renovação das frotas que capturam piramutaba, pargo e camarão no litoral das regiões Norte e Nordeste.

INCENTIVO À PESCA
O texto aprovado prevê, para as empresas pesqueiras industriais, financiamentos com prazo de amortização de 20 anos e carência de até quatro anos, incluído o prazo de construção. As taxas de juros serão pré-fixadas e a garantia ocorrerá por meio de alienação fiduciária, arrendamento mercantil e outras garantias estabelecidas em regulamento que definirá também as especificações das embarcações e os critérios para aprovação dos projetos.
Nas aquisições de barcos para a pesca oceânica, o limite de financiamento será de 50% do valor do barco e o prazo de financiamento será de até 20 anos, sendo dois anos de carência e até 18 anos para a amortização. Nas situações de aumento da capacidade de carga, aquisição e instalação de equipamentos e reparo de embarcações os prazos são menores, variando de cinco a 15 anos de amortização e de três a quatro anos de carência.
Ainda de acordo com o projeto de conversão, os bônus por pagamento em dia das prestações dos financiamentos serão de 30% para determinadas operações, como modernização e substituição de equipamentos de manuseio potencialmente perigosos ou construção e aquisição de embarcações destinadas à pesca oceânica de espécies inexploradas em Zona Econômica Exclusiva (ZEE); e de 50% em outras operações, como a modernização e conversão de embarcações com deslocamento para outras pescarias subexploradas.
A aprovação dos projetos pelo Profrota Pesqueira dependerá de requisitos mínimos, como concessão de permissão prévia de pesca e homologação dos aspectos técnicos das propostas, além da licença de construção e conversão do barco emitidas pelo Comando da Marinha.



Reportagem – Eduardo Piovesan
Edição - Rejane Oliveira


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)