Cassilândia, Sexta-feira, 30 de Outubro de 2020

Últimas Notícias

16/08/2006 09:51

Plantio da soja fica vetado por dois meses

Fernanda Mathias/Campo Grande News

Projeto de Lei encaminhado pelo governador de Mato Grosso do Sul, Zeca do PT, à Assembléia Legislativa, estabelece medidas de controle e prevenção à ferrugem asiática, praga que atinge a cultura de soja. Uma delas é o vazio sanitário – intervalo obrigatório de safras – de 1º de julho a 30 de setembro de cada ano. O texto foi readequado pela equipe técnica e substitui outro já remetido à Assembléia Legislativa. Além do vazio sanitário, o produtor também terá de respeitar o zoneamento agrícola, que determina as épocas de segurança para plantio de culturas em função de condições climáticas, solo e outras particularidades.

Trinta dias antes da semeadura os produtores terão de cadastrar ou registrar toda e qualquer área que receberá a cultura de soja, para direcionar ações de agentes estaduais e servir para fins estatísticos da Secretaria de Produção, de Receita e de entidades como a Famasul (Federação da Agricultura de Mato Grosso do Sul). No caso de surgimento da doença, a Iagro terá de ser notificada de imediato, assim como o devem fazer os laboratórios.

Para controle ou combate da doença e o produtor precisa eliminar todas as plantas voluntárias (as guachas ou tigueiras), por meio químico ou mecânico. Estas plantas são aquelas que germinam de grão vegetal abandonado ou perdido no solo. O produtor que deixar de comunicar a área plantada receberá multa de 150 Uferms e prazo de 15 dias para cumprir a determinação.

Em casos excepcionais o plantio poderá ser autorizado pela Iagro fora dos prazos do vazio sanitário ou zoneamento, quando for para fins de pesquisa científica ou tecnológica. Nestes casos, a entidade ou órgão interessado têm de apresentar à Iagro o planto de trabalho até 30 de abril do ano-calendário, sob pena de multa de 150 Uferms e prazo de cinco dias para apresentação dos mesmos. Deixar de comunicar resultados de exames ou diagnósticos de ferrugem à Iagro também é motivo de multa, de 150 Uferms.

São enquadradas como infrações graves, deixar de monitorar adequadamente as lavouras para detecção da ferrugem asiática, passível de multas de 300 Uferms; deixar de realizar o adequado controle químico e biológico das plantas (multa de 600 Uferms); deixar de comunicar ocorrência da doença e medidas adotadas para contornar a situação (300 Uferms).

Deixar de cumprir o prazo caracteriza infração gravíssima, com multa de 1,5 mil Uferms e determinação de destruição das plantas. Deixar de destruir as plantas voluntárias também é infração gravíssima, punida com 600 Uferms e eliminação das plantas. Além disso, sanções civis e penais. O Código Penal Brasileiro prevê pena de 2 a 5 anos de reclusão e multa a quem difundir doença ou praga que possa causar dano a floresta, plantação ou animais de utilidade econômica.
A ferrugem asiática foi constatado pela primeira vez em continente americano em março de 2001, no Paraguai, em maio do mesmo ano no Paraná (estado vizinho àquele País) e hoje é disseminada em todo o território brasileiro, conforme expõe mensagem do governo. A disseminação da doença ocorre por esporos e é favorecida pelas chuvas. Pode provocar perda de até 90% da lavoura e geram despesas com fungicidas de cerca de R$ 57,00 por hectare e por aplicação.
A partir do projeto de lei, que tem de passar por apreciação na Assembléia, fica instituído o Comitê Estadual do Controle de Ferrugem Asiática da Soja, que vai atuar na prevenção e erradicação da doença.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 29 de Outubro de 2020
Quarta, 28 de Outubro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)