Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

17/06/2005 13:14

Planos terão de pagar despesas com aids

Uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) condenou a Amil Assistência Médica Internacional Ltda. a pagar as despesas do tratamento da aposentada M.C.M.P., que o plano recusou no momento da internação, sob a alegação de que o contrato excluía as doenças infecto-contagiosas, no caso da segurada decorrentes do vírus HIV.

O STJ considerou "abusiva" a alegação da Amil e a decisão unânime do colegiado de juízes cria jurisprudência para aplicação em ações semelhantes que chegarem ao tribunal. O caso chegou à Justiça depois que M.C.M.P., de São Paulo, pediu o reconhecimento do direito de ser ressarcida pela Amil por despesas que teve com uma internação causada por doenças oportunistas.

A aposentada aderiu ao plano Amil Opções em 1991, quando foi admitida como assistente-administrativo júnior de uma empresa. Na ação, ela solicitou à Justiça que reconhecesse a abusividade da cláusula contratual.

A internação, que durou cinco dias, ocorreu em janeiro de 1996 no Hospital e Pronto-Socorro Itamaraty Ltda, que, no momento da alta, segundo o STJ, exigiu pagamento de R$ 4.780,00 referentes a medicamentos e honorários médicos.

O tribunal informou que a Amil teria se recusado a cobrir as despesas sob a alegação de que no contrato havia uma cláusula expressa excluindo a cobertura de tratamento de doenças infecto-contagiosas. Conforme o STJ, a Amil também sustentou que o contrato foi assinado pela aposentada antes da entrada em vigor do Código de Defesa do Consumidor.

Relator do recurso no STJ, o ministro Antonio de Pádua Ribeiro concluiu que a cláusula deve ser considerada inválida, já que o contrato foi celebrado por tempo indeterminado, com perspectiva de longa duração e com execução continuada.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)