Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

01/07/2006 07:20

Plano para uso racional da água é apresentado

Monique Maia/ABr

Promover uma utilização racional da água até o ano de 2020 é o objetivo principal do Plano Nacional de Recursos Hídricos, apresentado ontem (30) em um encontro público na Universidade de Brasília. O evento encerrou um ciclo de participação da sociedade, pois o documento já havia sido levado a todos os estados brasileiros.

O secretário de Recursos Hídricos do Ministério do Meio Ambiente, João Bosco, acha fundamental o envolvimento da população nesse processo de gestão das águas. Ele explica que a apresentação nos estados é uma prestação de contas à sociedade, que ajudou no processo. "O plano foi construído a partir da contribuição dos vários setores. Nós visitamos todos os estados, as regiões hidrográficas discutindo as idéias".

O plano pretende implementar 13 programas e 30 subprogramas na área de recursos hídricos em todo país, com monitoramento a cada quatro anos para avaliar o andamento da implantação, até 2020. "O grande desafio que temos, e que o plano procura apontar, é como usar de maneira racional e sem desperdício os recursos hídricos. Os programas vão exatamente nessa direção: orientar. Porque água todo mundo precisa para o seu consumo, para a sua atividade e para o desenvolvimento do país", afirma Bosco.

A idéia do plano surgiu com a criação da lei das águas, em 1997, que instituiu que cada região deveria ter um planejamento de gestão de recursos hídricos. No entanto, faltava elaborar um projeto nacional. De acordo com Marley de Mendonça, diretor da Secretaria de Recursos Hídricos, não havia um plano macro de diretrizes gerais. "Não existia um planejamento do uso da água no país considerando todos os usos possíveis: consumo humano, irrigação, energia, transporte, lazer, turismo".

O plano, lançado em março deste ano pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pela ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, contou com uma série de consultas a 7 mil pessoas durante três anos. Além de representantes dos governos estaduais e federal, participaram organizações não-governamentais e movimentos sociais.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)