Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

26/07/2004 15:50

PIS: Custos de produção de carnes e leite sobem isenção

Famasul

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) estranhou o fato de que ao anunciar a sanção da Medida Provisória nº 138, que trata da incidência de PIS e Cofins sobre produtos da agropecuária, o ministro da Fazenda, Antonio Palloci Filho, não tenha citado que haveria isenção para rações e suplementos minerais. Para a CNA, tal atitude sugere que o texto definitivo estabelecerá a cobrança sobre esses insumos, o que aumentará os custos de produção de carnes e de leite. Na área de pecuária de leite, na qual há intenso uso de rações, haverá um aumento no custo de produção de R$ 0,02 por litro, no mínimo. Isso representa uma elevação do gasto dos produtores de R$ 460 milhões por ano, ao considerar que a produção nacional será de 23,5 bilhões de litros em 2004. Na pecuária de corte, a taxação em 9,25% de PIS e Cofins no sal mineral eleva em 1,3% os custos de produção do setor, o que representa um aumento de despesas para os produtores na ordem de R$ 350 milhões por ano.

O texto da MP 183 remetido ao Palácio do Planalto garantia isenção de cobrança de PIS e Cofins para rações balanceadas, concentrados, suplementos minerais utilizados na alimentação animal e em suas matérias-primas, conforme foi aperfeiçoado durante as discussões no Congresso Nacional. Ao sancionar a MP, o Presidente da República vetou essa isenção. Com o veto, a perda de renda pode ser ainda maior na pecuária de leite, pois em sistemas de produção mais sofisticados, nos quais há forte utilização de rações, o aumento do custo de produção pode atingir R$ 0,05 por litro de leite. "Essa é a transferência de renda da pecuária leiteira para o Governo. Não sei se o setor estará preparado para assumir esse aumento de gastos. Muitos vão abandonar a atividade, e o resultado final pode ser o aumento de preços ao consumidor", diz o presidente da Comissão Nacional de Pecuária de Leite (CNPL) da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Rodrigo Alvim. Há no País pelo menos 1,8 milhão de propriedades rurais envolvidas diretamente com a pecuária de leite, e 70% dos produtores que atuam no setor são de pequeno porte.

Avaliação da CNA e da Fundação Getúlio Vargas (FGV) indica que 75,5% do consumo de rações, nesse segmento, é realizado por produtores com propriedades de até quatro módulos fiscais. A alimentação concentrada representa 39% do custo de produção de leite. "A aplicação da alíquota de 9,25% de PIS e Cofins criará problemas para a cadeia, em momento em que o setor está crescendo e exportando. Além disso, serão excluídos produtores não só na pecuária de leite, mas também na suinocultura e avicultura.", diz Alvim.

A pecuária de corte, por sua vez, tem menor dependência das rações, pois os animais são criados a pasto, mas utiliza intensamente a suplementação mineral. "Com a taxação do sal mineral, cairá ainda mais a renda do pecuarista, que já acumula perdas devido aos aumentos de custos de 1,5% e a queda de 5,5% do preço da arroba até abril deste ano", diz o presidente do Fórum Nacional Permanente de Pecuária de Corte da CNA, Antenor Nogueira. Estudo da CNA e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Cepea/Esalq-USP) mostra que o sal mineral representa 15% do custo de produção da pecuária de corte.

Os representantes da CNA ressaltam que foi positiva a manutenção da alíquota zero na cobrança de PIS e Cofins na comercialização de arroz, feijão, ovos, hortigranjeiros, frutas e farinha de mandioca pelos produtores rurais, evitando aumento de preços para produtos da cesta básica. Sem a isenção de PIS e Cofins para rações e insumos minerais também serão atingidas as criações de aves e de suínos, que usam rações de forma intensiva.


Autor:
CNA

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)