Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

06/11/2008 05:01

Pílula do dia seguinte é utilizada sem orientação médica

Agência Notisa

Um estudo de pesquisadores da área de enfermagem do estado de São Paulo mostra que universitárias recorrem ao método de anticoncepção de emergência (pílula do dia seguinte) bem mais do que, em tese, seria esperado para jovens com nível superior de instrução. Entretanto, em sua pesquisa, Ana Luiza Vilela Borges e colegas da Escola de Enfermagem da USP e da Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente do Governo do Estado de São Paulo identificaram que “quase metade das entrevistadas com vida sexual já havia utilizado a anticoncepção de emergência (44,9%)”, em que pese o Ministério da saúde ter indicado o método “somente em casos de emergência e não como método anticoncepcional de uso rotineiro”.



Os dados do estudo, que estão publicados na edição de julho/setembro de 2008 da revista Texto e Contexto, resultam de coletas realizadas com 300 estudantes matriculadas no curso de enfermagem de uma faculdade do município de São Paulo. A intenção era identificar quais métodos contraceptivos eram utilizados e de que forma, com foco principal no uso da pílula do dia seguinte, a qual se tem acesso, por exemplo, na Espanha, de acordo com os autores, exclusivamente através de serviços de ginecologia.



Os autores esclarecem que suas entrevistadas que usaram a anticoncepção de emergência adquiriram a pílula do dia seguinte em farmácias e por iniciativa própria, sem orientação de um profissional de saúde. Além disso, o que, segundo os enfermeiros, as levou a buscar o método de urgência foram falhas no método que estavam utilizando, como ruptura de preservativos ou esquecimento de tomar contraceptivos orais, “além da insegurança em relação à eficácia do anticonceptivo utilizado”. Por fim, escrevem, “verificou-se que o uso da anticoncepção de emergência foi associado a ter tido dois ou mais parceiros sexuais, a conhecer alguém que já tinha utilizado-a e a já ter deixado de usar o preservativo masculino em alguma relação sexual”.



Agência Notisa (science journalism – jornalismo científico)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)