Cassilândia, Sábado, 22 de Julho de 2017

Últimas Notícias

22/09/2006 08:36

PIB da agropecuária registra queda de 1,88%

Thiago Brandão/ABr

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) anunciou ontem (21) queda de 1,88% do PIB (Produto Interno Bruto) da agropecuária no primeiro semestre do ano, em relação ao mesmo período em 2005. Segundo dados da CNA e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Universidade de São Paulo (Cepea/USP), se persistir a tendência de queda a previsão é de que no ano a redução chegue a R$ 5,7 bilhões – dos R$ 153,04 bilhões no ano passado para R$ 146,34 bilhões.


A maior redução (2,41%) foi apurada na pecuária, cujos preços médios registraram decréscimo de 4,16%, enquanto a produção aumentou 1,83% de janeiro a junho. “Os preços da carne estão subindo e isso deve diminuir um pouco a queda no PIB do ano, mas, de qualquer maneira, haverá perdas”, afirmou o superintendente técnico da CNA, Ricardo Cotta.

Na agricultura, produtos como cana-de-açúcar, café e laranja não conseguiram impedir o recuo de 1,46% no primeiro semestre. Além da queda dos preços médios (3,29%) e do aumento da produção física (1,89%), o setor deve passar por mudanças na próxima safra. “O produtor provavelmente vai redirecionar sua intenção de plantio. Na região Centro-Oeste, por exemplo, ele vai plantar menos soja e mais algodão, que está com preços em alta no mercado internacional”, avaliou o superintendente.

Para 2007, as previsões da CNA incluem baixa de 10% na produção de soja. “O setor em geral empurrou para o próximo ano as dívidas referentes às perdas de agora e não há sinais de que a lucratividade dos negócios vá aumentar. E, com as dívidas correndo, o produtor está com menos acesso a crédito”, disse Cotta. Os efeitos serão mais sentidos nas regiões de mais difícil distribuição e escoamento, como em Mato Grosso e algumas áreas de Goiás, acrescentou.


Sobre a balança do comercial do agronegócio, a CNA informou que foi registrado recorde de US$ 32 bilhões até agosto, com alta de 10,9% em relação ao mesmo período em 2005. Ele atribuiu o resultado ao aumento do preço médio da tonelada exportada. A participação do setor nas exportações brasileiras caiu de 37,7%, nos primeiros oito meses do ano passado, para 36% no mesmo período de 2006.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 22 de Julho de 2017
Sexta, 21 de Julho de 2017
11:00
Mundo Fitness
10:00
Receita do dia
Quinta, 20 de Julho de 2017
10:07
Cassilândia
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)