Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

07/05/2004 15:00

PF suspende greve, mas não retoma fiscalização

Ângela Kempfer e Fabiana Silvestre / Campo Grande News
David MajellaDavid Majella

Depois de quase dois meses de greve os 260 policiais federais do Estado retornam ao trabalho, mas com restrições. O combate ao crime organizado, que inclui o tráfico de drogas, continuará suspenso durante os três dias de trégua dados pela categoria na tentativa de sensibilizar o governo para a reabertura das negociações.
A fiscalização na fronteira e em locais como casas de câmbio e empresas de segurança, não será retomada até que o Ministério da Justiça apresente nova proposta. Também não está prevista nenhuma operação para fechamento de bingos, caso os empresários resolvam abrir sem autorização judicial.
A volta serviu para arriscar um balanço do prejuízo causado com a paralisação no Estado. O Sinpef (Sindicato de Policiais Federais de Mato Grosso do Sul), fala em 800 passaportes não emitidos durante os 59 dias de greve, quase 15 toneladas de drogas transportadas livremente e mil inquéritos parados. Com base na média de 30 prisões realizadas mensalmente, a categoria prevê também que pelo menos 60 traficantes deixaram de ser presos durante a greve. Na seção de passaportes mais de dez pessoas procuraram o documento na primeira hora de hoje, moviemtno considerado normal.
A trégua ocorre depois assembléias regionais realizadas pelos sindicatos. No país 21 estados foram favoráveis ao retorno ao trabalho e entre os 6 que optaram contra está Mato Grosso do Sul. Agentes, escrivões e papiloscopistas (especialistas em impressões digitais) reivindicam o pagamento de salário equivalente a nível superior, conforme prevê uma lei de 96 que tornou obrigatório o terceiro grau para ingressar na PF, o que representaria um aumento de 85,7%. Os salários iniciais de agentes subiriam de R$ 4,2 mil para R$ 7,8 mil. Já o governo oferece no máximo 17% de reajuste e alega não haver base jurídica para a reivindicação dos grevistas, já que a lei, estabelece uma tabela específica para os pagamentos.
Caso nenhum avanço acontece durante a suspensão da greve, os trabalhos serão novamente interrompidos na próxima quarta-feira.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)