Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

03/06/2016 10:42

PF desarticula quadrilha que fraudou R$ 1 milhão em pensão de indígenas

Caroline Maldonado, Campo Grande News

A PF (Polícia Federal) deflagrou hoje (3) operação para prender envolvidos em esquema de fraude para obtenção de pensão por morte, cuja soma do prejuízo evitado e causado ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) pode ultrapassar R$ 1 milhão. Um advogado e um servidor da Funai (Fundação Nacional do Índio) integram o grupo, que registrava crianças como se fossem filhos de indígenas já mortos para então conseguir a pensão.

Oitenta policiais cumprem dois mandados de prisão preventiva, em Amambai e Iguatemi, a 466 quilômetros de Campo Grande. Também há 14 mandados de busca e apreensão e 16 de condução coercitiva, em que os suspeitos são obrigados e seguir com os agentes, ambos expedidos pela Justiça Federal de Ponta Porã.

Até agora, foram constatadas cinco fraudes, mas vários documentos apreendidos indicam que o prejuízo ultrapassa R$ 1 milhão. A operação, deflagrada hoje, foi batizada de Uroboros, em alusão à serpente mítica que é representada engolido seu próprio rabo e, por isso, simboliza o caráter destrutivo da cobiça e da ganância, conforme a Polícia Federal.

A ação da Delegacia da PF de Ponta Porã, em conjunto com Ministério do Trabalho e Previdência Social, conta com apoio logístico do 11° Regimento de Cavalaria Mecanizada do Exército Brasileiro e do MPE (Ministério Público Estadual).

Esquema – Segundo a polícia, o benefício social não prescreve para menores, portanto o grupo conseguia obter valores referentes as pensões, que retroagiam desde a morte dos indígenas, cujos nomes eram utilizados nas fraudes.

Com logística bem estruturada, os criminosos contavam com um advogado que pleiteava judicialmente os benefícios negados administrativamente. O profissional, que não teve o nome divulgado, ainda patrocinava pedidos de guarda de menores por parte de indígenas aliciados para as fraudes.

A guarda das crianças era tirada de seus guardiões apenas para proporcionar a obtenção do benefício. A polícia não revelou também o nome do servidor da Funai envolvido nos crimes, apenas informou que ele trabalha em Amambai.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)