Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

05/10/2006 13:30

PF busca desarticular quadrilha com sonegação de R$ 1 bi

Priscilla Mazenotti /ABr

A Polícia Federal faz operação hoje (5) para prender quadrilha acusada de sonegação fiscal e estelionato em frigoríficos no interior de São Paulo. Ao todo, a Operação Grandes Lagos cumpre mais de cem mandados de prisão e 143 de busca e apreensão em São Paulo, Mato Grosso do Sul, Bahia, Minas Gerais e Goiás.

Segundo nota da PF, a quadrilha era composta por 159 empresas, incluindo suas filiais, e 173 pessoas, que já foram identificadas. O esquema de sonegação fiscal dos acusados funcionava há, pelo menos, 15 anos e o prejuízo estimado ultrapassa R$ 1 bilhão em impostos e multas federais, estaduais e municipais que deixaram de ser recolhidas nos últimos anos e em créditos fictícios de ICMS que foram gerados por meio de simulação de operações comerciais.

A quadrilha era dividida em cinco núcleos que envolviam a prática de crimes fiscais por meio de empresas em nome de laranjas que não pagavam os impostos, o subfaturamento de receita, a geração de créditos fictícios de ICMS, a emissão e venda de notas fiscais frias a frigoríficos para que eles movimentassem as receitas sem recolher impostos, a sonegação de tributos, entre outras atividades.

Uma das empresas criadas para emitir notas fiscais frias em quatro anos emitiu R$ 172 milhões em notas fiscais sem nenhuma movimentação na conta bancária. A empresa também não recolheu tributos sobre a movimentação.

A quadrilha contava, ainda, com a participação de servidores públicos que abriam empresas de fachada, mudavam o regime das empresas, vendiam acesso a sistemas da Receita Federal a empresas que não cumprem os requisitos para adquiri-lo, liberavam créditos acumulados de ICMS gerados fraudulentamente.

Entre esses servidores, estão agentes fiscais de rendas da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, fiscais da Receita Federal de Campinas e uma auditora-fiscal do trabalho. Todos eles se relacionam com a quadrilha, mas não se relacionam entre si.

Participam da Operação cerca de 700 policiais federais, além da Receita Federal, do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) e do Ministério Público Federal. O inquérito será concluído em 60 dias.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)