Cassilândia, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

20/10/2008 18:12

Petrobras confirma acordo com governo do Equador

Nielmar de Oliveira /ABr

Rio de Janeiro - A Petrobras divulgou nota oficial de dois parágrafos na qual informa que assinou com o governo do Equador, na última sexta-feira (17), em Quito, uma "ata de entendimento" prorrogando por um ano o atual contrato em regime de concessão de produção do Bloco 18.

Na nota, a estatal comunica que decidirá com o governo equatoriano, daqui a um ano, se firmará um novo contrato, ou se a companhia devolverá o bloco ao Equador, “com indenização pela porção não-depreciada dos investimentos”.

Segundo as agências de notícias internacionais, o presidente equatoriano, Rafael Correa, já havia anunciado no final de semana que a estatal brasileira havia aceitado as condições de Quito para assinar um novo contrato com o Estado.

Ainda segundo as agências, o ministro de Mineração e Petróleo do Equador, Derlis Palacios, teria informado que o volume de petróleo que a Petrobras extrai do Bloco 18 e repassa ao governo do país iria subir dos atuais 51% para 60%, e, em troca, o imposto que a Petrobras paga sobre lucros inesperados seria reduzido dos atuais 99% para 70%.

A Agência Brasil tentou confirmar essas informações com a Petrobras que, através da sua assessoria de imprensa, limitou-se a afirmar que tudo o que havia a falar sobre a renovação do acordo estava contido na nota publicada em seu site.

A Petrobras é operadora do Bloco 18, na região da amazônica equatoriana, onde produz 32 mil barris de petróleo por dia. Pelo atual contrato, o governo equatoriano recebe uma parte dos lucros e da produção de petróleo.

O presidente Correa - que chegou a ameaçar nacionalizar o campo e expulsar a Petrobras do país -, tenta impor à Petrobras um contrato de prestação de serviços, onde todo o petróleo ficaria com o Equador, que remuneraria a estatal brasileira pelos investimentos feitos e pelo serviço prestado.

Em entrevista recente, o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, já havia afirmado que a Petrobras não aceitaria atuar no Equador como prestadora de serviços.


As divergências entre a Petrobras e o Equador já levaram a estatal brasileira a devolver ao governo Correa o Bloco 31 – que tem boa parte do campo situada no Parque Nacional do Equador, em uma área de reserva indígena.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Quinta, 01 de Dezembro de 2016
11:00
Mundo Fitness
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)