Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

12/02/2016 12:30

Pesquisa mostra que divórcio é mais provável quando as mulheres adoecem

Saúde Plena

Comprometendo-se a ficar juntos na doença e na saúde pode parecer uma simples promessa de recém-casados, mas de acordo com uma pesquisa recente, é mais fácil falar do que fazer.

Em análise com 2.700 casais, o levantamento mostra que relacionamento em que a mulher teve uma doença grave teve 6% mais divórcio do que aqueles em que a mulher permaneceu saudável. A conclusão é que o divórcio é mais provável quando as mulheres adoecem. Por outro lado, quando os homens ficaram doentes, o risco de o casamento terminar em divórcio não aumentou.

Em janeiro deste ano, o caso de uma atriz argentina ganhou repercussão no Brasil depois que Lorena Meritano, de 45 anos, disse ter sido abandonada pelo marido, Ernesto Calzadilla, 41, após revelar a ele que precisava retirar um seio para combater o câncer, descoberto do ano passado. Em vídeo emocionante publicado do Youtube ela fala sobre a atitude do marido. "Hoje, Ernesto Calzadilla, que foi meu marido até hoje e deveria estar ao meu lado, está me deixando, ele está se divorciando de mim, está deixando o barco."

O estudo, liderado por acadêmicos da Iowa State University nos EUA, sugere que isso se deve ao fato de as mulheres terem sido tradicionalmente condicionadas a serem cuidadoras em suas famílias, o que pode significar que os homens são menos capazes de lidar, se suas esposas adoecerem, com consequências imprevisíveis.

Os acadêmicos usaram dados de uma amostra de casais americanos, todos com idade acima dos 50 no início dos anos 1990, que foram questionados sobre a sua saúde e outros aspectos de suas vidas a cada dois anos, durante um período de quase 20 anos. No geral, 32% dos casamentos terminaram em divórcio e outros 24% terminaram como resultado da morte de um dos cônjuges.

A equipe liderada por Amelia Karraker, professorora assistente nos estudos de desenvolvimento humano e familiar da Iowa State University, comparou incidências de quatro condições - câncer, doenças cardíacas, acidente vascular cerebral e doença pulmonar - em homens e mulheres que terminaram o casamento.

O estudo publicado no Jornal da Saúde e Comportamento Social e apoiada pela Associação Americana de Sociologia, mostra que, embora houvesse variações entre as diferentes doenças gerais, o "risco de divórcio cresceu" em casos em que a mulher, mas não o marido, adoeceu.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)