Cassilândia, Quarta-feira, 30 de Setembro de 2020

Últimas Notícias

19/11/2003 07:07

Pesquisa eleitoral não é decisiva, dizem institutos

Agência Câmara

Até que ponto as pesquisas eleitorais influenciam o eleitor? Elas são confiáveis? Existe transparência na elaboração e divulgação dos dados ou as pesquisas são manipuladas? Essas foram questões levantadas hoje na última audiência pública da Comissão Especial da Reforma Política da Câmara Federal , que contou com a participação de representantes de cinco institutos de pesquisa.
Eles foram unânimes ao afirmar que as pesquisas eleitorais são apenas uma entre milhares de informações colocadas à disposição do eleitor. Para a representante da Associação Nacional das Empresas de Pesquisa, Adélia Franceschini, é "pobre" a avaliação de que a pesquisa encaminha o voto ou que o eleitor acaba votando no primeiro indicado. "O que pode acontecer é um reposicionamento do eleitor, que tem todo o direito de se informar sobre a posição dos candidatos", disse.

DATAFOLHA
O representante do Datafolha, Mauro Francisco Paulino, disse que desde 1994 o instituto analisa o que o eleitor faz com o resultado da pesquisa eleitoral. Segundo ele, 15% admitem levar em consideração a pesquisa para a definição do voto, e só 2% admitem votar no primeiro colocado na pesquisa. Há também os que votam nos candidatos com menos chances. "É legítimo que o eleitorado tenha acesso a essas informações, que em conjunto com outras o ajudarão a se decidir", disse.
A representante da Sociedade Brasileira de Pesquisadores de Mercado e Mídia, Raquel Moreno, sugeriu a regulamentação da profissão de pesquisador que, hoje, segundo ela, é exercida por qualquer um. Raquel defendeu também a criação de um Conselho Consultivo, com a participação dos pesquisadores e daqueles que não estejam envolvidos na eleição.

MUDANÇAS
Os representantes dos institutos defenderam mudanças na legislação. Hoje, por exemplo, a pesquisa deve ser registrada no Tribunal Superior Eleitoral cinco dias antes da divulgação. Para a representante do Ibope, Márcia Cavallari, o prazo é longo e dá margem para que um outro instituto antecipe a mesma pesquisa.
"Qualquer instituto consegue fazer uma pesquisa em menos de cinco dias", disse. Ela alertou também para a possibilidade de uso privilegiado e indevido de informações de uma pesquisa ainda não divulgada. "Alguém pode negociar dólares ou ações com esse tipo de informação", advertiu.
Cavallari elogiou, como ponto positivo da lei vigente, o dispositivo que inibe a atuação dos chamados Institutos de Ocasião, que aparecem apenas no período eleitoral e somem depois.

RIGOR E CREDIBILIDADE
A representante da Associação Nacional das Empresas de Pesquisa, Adélia Franceschini, garantiu que as pesquisas eleitorais são tratadas com rigor, porque apesar de representarem apenas 10% do faturamento do instituto, significam muito em termos de conquista de credibilidade.
Para ela, há três tipos de pontos de vista sobre as pesquisas eleitorais. O primeiro é o do político, que defende os resultados quando esses lhe são favoráveis, e os critica em caso contrário. O segundo é o do jornalista, que tem dificuldade em aceitar a inexistência de novidades. E o terceiro é o do técnico de pesquisa, que, preocupado com a exatidão das informações, tem problemas em aceitar mudanças.



Reportagem - Poliani Castello Branco
Edição – Luiz Claudio Pinheiro


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 30 de Setembro de 2020
Terça, 29 de Setembro de 2020
11:00
Corrida/Nutrição/Fitness
Segunda, 28 de Setembro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)