Cassilândia, Segunda-feira, 28 de Setembro de 2020

Últimas Notícias

11/10/2003 07:53

Pesquisa contabiliza 7,2 milhões de crianças trabalhando

Nádia Faggiani/ABr

Cerca de 7,2 milhões de crianças e adolescentes estão envolvidas hoje com trabalho infantil na região do Mercado Comum do Sul (Mercosul) e Chile, o que representa mais do que toda a população do Paraguai. É o que mostra a pesquisa realizada pela Andi (Agência de Noticias dos Direitos da Criança) e pela OIT (Organização Internacional do Trabalho) nos cinco países – Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Chile.

O resultado da pesquisa vai ser avaliado na próxima segunda e terça-feira, na sede da OIT, em Brasília, durante o seminário "Trabalho Infantil e Gênero na Mídia do Mercosul". Essa será a primeira vez que se discutirá o tema trabalho infantil na dimensão do Mercosul. Também será a primeira vez que estará em debate a participação dos meios de comunicação e dos profissionais de mídia no tratamento das matérias em relação aos direitos da criança e do adolescente. A pesquisa foi realizada com base em 17 jornais que abordaram o tema trabalho infantil.

A partir do estudo, a Andi e a OIT pretendem criar uma rede latino-americana de estímulo à questão da infância na mídia. No Brasil são mais de 5 milhões de trabalhadores com idade entre 5 e 17 anos. Dados da pesquisa indicam que existem esforços concretos por parte dos meios de comunicação e dos publicitários para ajudar a superar a situação do trabalho infantil, que está diretamente relacionada com a pobreza.

Mas, por outro lado, faltam informações para que os jornalistas possam construir pautas e cumprir com as orientações da própria Federação Internacional de Jornalista (FIP), tomadas em Oslo (1999) e no Recife (1998), de melhoria da qualidade da informação sobre crianças e adolescente em todo o mundo.

Estarão presentes no encontro, além de representantes de fórum sociais da Argentina, Chile, Brasil, Paraguai e Uruguai; representantes de governo; comissões pela erradicação do trabalho Infantil; publicitários; jornalistas; pesquisadores; parlamentares e representantes de órgãos reguladores e de comunicação.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 27 de Setembro de 2020
11:00
Corrida/Nutrição/Fitness
Sábado, 26 de Setembro de 2020
07:28
Cassilândia/São José do Rio Preto
Sexta, 25 de Setembro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)