Cassilândia, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

Últimas Notícias

19/05/2006 07:27

Pesquisa constata altos índices de sobrepeso nas escolas

Agência Notisa

Dados mostram diferenças entre estudantes de escolas particulares e públicas, com maiores prevalências de excesso de gordura corporal nas crianças de melhores níveis sócio-econômicos.

O sobrepeso e a obesidade são problemas de saúde pública e nos últimos 30 anos vêm acometendo cada vez mais pessoas – tanto nos países desenvolvidos quanto nos países em desenvolvimento. Vale destacar que quanto maior a prevalência da gordura corporal excessiva na infância, maiores serão as chances de a criança desenvolver precocemente problemas de saúde – como, por exemplo, diabetes e hipertensão – e de se tornar um adulto obeso. Nesse sentido, pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) resolveram descrever as prevalências de sobrepeso e obesidade em 10.822 alunos, com idade entre 7 e 10 anos, de 28 escolas públicas e 50 particulares de Santos (SP), comparando os resultados obtidos em relação ao sexo, idade e tipo de escola.

As crianças foram submetidas a medições de massa corporal e estatura, no período de agosto a novembro de 2002. De acordo com artigo publicado na edição de fevereiro de 2006 dos Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, “a apresentação dos resultados do estudo, identificando as elevadas prevalências de sobrepeso e obesidade em escolares de Santos, poderá servir de incentivo à implementação de políticas públicas e ações da iniciativa privada com o intuito de modificar o quadro atual, pois reduzir a prevalência de obesidade significa reduzir todos os riscos à saúde a ela associados. Além disso, estes dados poderão servir como linha de base para a verificação da tendência destas prevalências e da efetividade de ações de intervenção”.

Os resultados mostram que as prevalências totais de sobrepeso e obesidade, incluindo escolas públicas e particulares, foram de 15,7% e de 18,0%, respectivamente. Houve maior prevalência de sobrepeso e obesidade nos alunos das escolas particulares. Os especialistas explicam que “a maior prevalência de obesidade encontrada nas escolas particulares pode ser explicada pela associação entre excesso de gordura corporal e níveis sócio-econômicos mais elevados, o que ainda é esperado em países em desenvolvimento”. No que diz respeito ao gênero, no sexo masculino, os valores encontrados foram de 14,8% para o sobrepeso, e de 20,3% para a obesidade. Já no feminino, de 16,6% e de 15,8%, respectivamente. “Na comparação entre o sexo masculino e o feminino, o sobrepeso foi significantemente mais prevalente nas meninas do que nos meninos; já para a obesidade, a prevalência foi significantemente maior nos meninos do que nas meninas”, afirmam no artigo.

De acordo com a equipe, os resultados encontrados mostram elevadas prevalências de sobrepeso e obesidade em escolares da cidade de Santos, confirmando que o excesso de gordura corporal entre crianças brasileiras aumentou nas últimas décadas e se tornou um problema de saúde que deve ser visto com mais atenção na cidade. “Considerando a associação existente entre o excesso de gordura corporal e efeitos danosos à saúde, bem como com o aumento das causas de morbimortalidade, além do fato de a obesidade surgida na infância normalmente acompanhar os indivíduos até a vida adulta, torna-se evidente a necessidade de ações preventivas desde as idades mais precoces. Nesse sentido, a escola deve ocupar papel de destaque tanto em relação à orientação de hábitos alimentares quanto à prática de exercícios físicos”, destacam os pesquisadores no artigo.

Agência Notisa (jornalismo científico - science journalism)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 22 de Maio de 2018
Segunda, 21 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)