Cassilândia, Terça-feira, 20 de Outubro de 2020

Últimas Notícias

28/08/2020 18:00

Pesquisa aponta relação entre restrição de proteína e diabetes gestacional

Professor da Unemat participou da pesquisa publicada em prestigiada revista científica

Governo de Mato Grosso
Pesquisa aponta relação entre restrição de proteína e diabetes gestacional

Estudo aponta que restrição de consumo de proteína durante a gravidez, além de prejudicar a mãe e o bebê, pode contribuir para o desenvolvimento do Diabetes mellitus gestacional (DMG). Essa foi uma das conclusões da pesquisa realizada pelo docente dos cursos de Engenharia de Alimentos e Engenharia de Produção Agroindustrial, da Unemat em Barra do Bugres, prof. Edson Henrique Pereira de Arruda, em pesquisa de doutorado em Biotecnologia pelo INPA, juntamente com grupo de pesquisa PPG-Nutrição, Alimentos e Metabolismo da UFMT.

O estudo foi publicado recentemente na renomada revista científica Molecular and Cellular Endocrinology, em artigo intitulado "A restrição de proteínas durante a gravidez prejudica o GLP-1 intra-ilhotas e a expansão da massa de células ß” (numa livre tradução para o Português). Para acessar clique em www.sciencedirect.com

O Diabetes mellitus gestacional (DMG) é uma intolerância à glicose que se inicia ou é detectada pela primeira vez durante a gravidez. O DMG é caracterizado pela insuficiência das células beta-pancreáticas ao suprir a demanda corporal de insulina.

E entre as causas para o desenvolvimento da doença está a resistência à ação da insulina, que é fisiológica e está relacionada aos hormônios da gravidez. “A gestação é uma das fases da vida em que ocorrem adaptações na estrutura das células beta do pâncreas, cuja função é secretar insulina. A incapacidade dessas células se adaptarem nessa fase está associada ao diabetes mellitus gestacional”, explicou o professor Edson Henrique Pereira de Arruda.

Entenda a pesquisa

Os estudos são feitos em laboratório. Foram usados quatro grupos de ratas: 1) não prenhas; 2) prenhas alimentadas com uma dieta normal em proteína; 3) ratas não prenhas submetidas à restrição de proteína; 4) prenhas submetidos à restrição de proteína.

Os resultados mostraram que em ratas prenhes submetidas à restrição proteica não houve a expansão da massa de células beta pancreáticas, nem aumento da secreção de insulina na presença de concentração alta de glicose, como observado nas ratas controles prenhes. Quer dizer, a restrição de proteína durante a gestação esteve associada à redução da secreção de insulina em altas concentrações de glicose.

“Podemos, agora, partir para experimentação com outros grupos de animais e incrementar a dieta dessas ratas a suplementação com cogumelos amazônicos (Ex. Pleurotos Ostreatus). É sabido que esse cogumelo reduz os níveis de colesterol e glicemia e pode-se abrir um parêntese para mais estudos com ratas grávidas, dieta suplementada, teor de proteína na dieta e cascata de sinalização para produção de insulina e desenvolvimento da massa células do pâncreas”, disse.

Aplicações futuras

Diversas razões tornam interessantes o estudo que avalia mecanismos envolvidos nas adaptações das células beta à gestação. “Primeiro, porque o acesso ao pâncreas humano é limitado, pouco acessível e as adaptações das células beta à gestação se assemelham em humanos e roedores. Assim, os mecanismos envolvidos em modelos animais podem ter aplicabilidade direta na doença humana”.

Segundo, porque permitem entender esse tipo de diabetes gestacional e contribuir para avanços na sua prevenção e tratamento. “Podem ter um impacto significativo não só no bem-estar da mãe durante e após a gestação, mas sobre a descendência de mães com diabetes mellitus gestacional, que têm um risco aumentado de também desenvolver a doença”, completou o professor Edson Henrique.

No Brasil, a incidência de Diabetes mellitus gestacional em mulheres com mais de 20 anos, atendidas em serviços de pré-natal do Sistema Único de Saúde (SUS), é de 7,6%. A gestante tem maior risco de complicação na gravidez, como parto prematuro, feto com apresentação pélvica, pré-eclâmpsia, dentre outros.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 20 de Outubro de 2020
Segunda, 19 de Outubro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)